MENU

Governo americano libera US$ 20,3 milhões para vítimas do conflito na Faixa de Gaza

Governo americano libera US$ 20,3 milhões para vítimas do conflito na Faixa de Gaza

Atualizado: Quarta-feira, 4 Fevereiro de 2009 as 12

O governo dos Estados Unidos liberou US$ 20,3 milhões para ajuda a palestinos refugiados e vítimas do conflito na Faixa de Gaza. A verba foi anunciada ontem (2) pelo presidente Barack Obama e sairá do Fundo de Assistência Emergencial a Refugiados e Migração.

De acordo com o memorando assinado por Obama, os recursos poderão ser direcionados a organizações internacionais, governamentais e não-governamentais. Também cobrirão gastos administrativos da Divisão de População, Refugiados e Migração do Departamento de Estado.

Em campanha, Obama prometeu se engajar nas negociações pela paz no Oriente Médio. Assim que tomou posse, o novo presidente nomeou o ex-senador George Mitchell – que participou das negociações de paz na Irlanda do Norte nos anos 90 e liderou uma comissão internacional para investigar a violência no Oriente Médio – como enviado especial dos Estados Unidos ao Oriente Médio.

Hoje (3), Mitchell relatou sua viagem à secretária de Estado, Hillary Clinton. Após a reunião, Hillary reafirmou o compromisso dos Estados Unidos com a paz entre Palestina e Israel.

"Esperamos trabalhar com todas as partes para ajudá-las a avançar em direção a um acordo que ponha fim ao conflito, crie um Estado da Palestina independente e viável e dê a Israel a paz e a segurança que procura", disse Hillary. Segundo ela, o governo norte-americano aguarda ansiosamente o resultado das eleições em Israel para começar a trabalhar com os novos dirigentes.

No lado oposto, o governo norte-americano vem dialogando com a Autoridade Palestina por meio do presidente Mahmoud Abbas e do primeiro-ministro Salam Fayad.

Quanto ao diálogo com o Hamas, que controla a Faixa de Gaza, Hillary foi categórica: "Eles têm que reconhecer Israel. E têm que concordar em manter acordos anteriores firmados pela Autoridade Palestina". A secretária também exigiu que cessem os lançamentos de foguetes contra Israel.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defende a participação do Hamas nas negociações de paz.

veja também