MENU

Grupo ligado à al-Qaeda defende 'guerra santa' no Egito em crise

Grupo ligado à al-Qaeda defende 'guerra santa' no Egito em crise

Atualizado: Quarta-feira, 9 Fevereiro de 2011 as 9:54

Um grupo ligado à rede terrorista da al-Qaeda, 'O Estado Islâmico do Iraque', pediu aos manifestantes egípcios que façam a 'jihad' (guerra santa) e estabeleçam um governo baseado na lei islâmica ('sharia'), informa o site de monitoração de endereços islâmicos (SITE), que tem sede nos EUA.

"O mercado da jihad está aberto no Egito, e as portas do martírio foram abertas. Todo homem em condições deve participar", afirma a mensagem do grupo terrorista.     A declaração seria a primeira reação de militantes ligados à Al-Qaeda à atual crise no Egito, segundo o SITE.     O país enfrenta protestos de rua há 16 dias, pedindo a saída do presidente Hosni Mubarak, que governa há 30 anos. Confrontos deixaram mais de 300 mortos e 5 mil feridos, segundo a ONU.    

veja também