MENU

Grupo para ajuda climática se reunirá no dia 31 em Londres

Grupo para ajuda climática se reunirá no dia 31 em Londres

Atualizado: Sexta-feira, 19 Março de 2010 as 12

A primeira reunião do grupo encarregado de adquirir os recursos necessários para o combate às mudanças climáticas nos países em desenvolvimento será realizada em Londres, no dia 31 de março, anunciou nesta sexta-feira, dia 19, o primeiro-ministro britânico Gordon Brown, copresidente do grupo.

"Quero anunciar que no dia 31 de março organizaremos em Londres a primeira reunião sobre o financiamento da luta contra o aquecimento global, estabelecido pelo secretário-geral da ONU", Ban Ki-moon, declarou Brown em um discurso à imprensa internacional na capital britânica.

O grupo, que teve sua criação anunciada em fevereiro, é copresidido por Brown e por seu colega etíope Meles Zenawi. Sua missão é "mobilizar os recursos que os Estados se comprometeram a doar" na recente conferência da ONU em Copenhague sobre o clima, segundo anunciou Ban na época.

Sua primeira missão será buscar um financiamento inovador para alcançar o objetivo de US$ 100 bilhões anuais antes do final de 2020.

Rumo ao México

O grupo apresentará informações sobre seu trabalho na próxima reunião da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (CQNUMC) e elaborará suas recomendações finais para a Conferência Internacional sobre o Clima prevista para Cancun (México), a partir de 29 de novembro.

A conferência de Copenhague, realizada em dezembro, terminou com um acordo político não-vinculante entre cerca de 30 países dos 192 presentes. Inclui o objetivo de limitar a dois graus Celsius o aumento médio da temperatura do planeta, mas se mantém muito vago sobre as maneiras de atingi-lo.

"Apesar das decepções da conferência de Copenhague, fizemos mais progressos do que se reconhece", ressaltou Brown, que expressou sua satisfação de que "mais de 70 países, ou cerca de 80% das emissões do planeta", tenham enviado à ONU suas metas de limitação de emissões de gases do efeito estufa para 2020.

"No entanto, resta muito a fazer", acrescentou Brown, lembrando a necessidade de alcançar os US$ 100 bilhões de arrecadação anual antes de 2020.

veja também