MENU

Hillary e Amorim falam sobre Irã, Haiti, Chile e outros assuntos

Hillary e Amorim falam sobre Irã, Haiti, Chile e outros assuntos

Atualizado: Quarta-feira, 3 Março de 2010 as 12

A secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, afirmou nesta quarta-feira, dia 3, que a comunidade internacional, incluindo o Brasil, terá de decidir em breve se adota ou não sanções contra o Irã por seu programa nuclear. "Chegará o momento que a comunidade internacional terá de decidir sobre o Irã", disse Hillary.

A afirmação foi feita durante coletiva ao lado do chanceler brasileiro, Celso Amorim, em Brasília, após ser questionada sobre se os EUA se sentem frustrados com a defesa que o Brasil faz ao diálogo com o Irã para resolver o impasse.

Hillary Clinton e o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Celso Amorim, se reuniram na manhã desta quarta-feira durante a visita da americana a Brasília. Após o encontro, Hillary afirmou que os EUA esperam poder continuar o diálogo com o Brasil sobre o Irã. "Chegará o momento que a comunidade internacional terá de decidir sobre o Irã", diz Hillary.

Segundo Hillary, ela e Amorim conversaram sobre temas como Oriente Médio, Irã, clima, Haiti, Chile e outros temas de natureza global.

Encontro com Lula

Lula recebe Hillary na tarde desta quarta-feira, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) - sede provisória da Presidência da República, em Brasília.

Na pauta está o programa nuclear no Irã. Além disso, os dois devem discutir o processo de compra de caças brasileiros para a Força Aérea Brasileira (FAB). A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, pré-candidata à Presidência da República, também participará do encontro.

Na segunda-feira, durante passagem pela Argentina, Hillary afirmou que quer se assegurar de que o Lula "compreende a preocupação mundial com o Irã".

"Foi constatado que o Irã está violando as determinações da Agência Internacional de Energia Atômica e do Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas)", disse. "Esse será um tema abordado pelo Conselho de Segurança, então quero me assegurar de que (o presidente Lula) tem a mesma compreensão que nós temos sobre como esse assunto vai se desenrolar."

Caças

Durante o encontro, a secretária americana também tentará reverter a "falta de confiança" que o Brasil tem em relação aos americanos e que deixou o país em posição desfavorável na disputa pela compra dos caças que equiparão a FAB pelos próximos 30 anos.

Porém, o governo brasileiro já manifestou por diversas vezes a sua preferência pela parceria estratégica com a França. E o ministro da Defesa Nelson Jobim fez, em várias entrevistas, críticas diretas à proposta americana, dizendo que os "precedentes" dos EUA de transferência de tecnologia "não são bons".

Na decisão do Planalto, que está sendo aguardada para o final deste mês, o F-18 Super Hornet americano está disputando com o Rafale francês e o Gripen sueco.

A secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, afirmou nesta terça-feira que a comunidade internacional, incluindo o Brasil, terá de decidir em breve se adota ou não sanções contra o Irã por seu programa nuclear.

Giro pela América Latina

Depois de passar pelo Brasil nesta quarta-feira, Hillary irá à Costa Rica, onde se reunirá com o presidente Oscar Arias e com a presidente eleita Laura Chinchilla. Na Guatemala, a secretária de Estado dos EUA conversará com o presidente Álvaro Colom.

veja também