MENU

Irã comemora 32 anos da Revolução Islâmica

Irã comemora 32 anos da Revolução Islâmica

Atualizado: Sexta-feira, 11 Fevereiro de 2011 as 10:57

Centenas de milhares de pessoas foram às ruas nesta sexta-feira para comemorar o aniversário de 32 anos da Revolução Islâmica no Irã, em um comício que o governo clerical anunciou como sendo uma oportunidade para demonstrar solidariedade aos manifestantes "islâmicos" no Egito.

"Morte à América", e "Morte a Israel", gritavam os manifestantes, repetindo as palavras da revolução que derrubaram em 1979 o xá, apoiado pelos EUA, e conduziu os clérigos xiita ao poder.

O presidente Mahmoud Ahmadinejad reiterou a visão das autoridades -- contestada pela oposição -- de que a insurgência na Tunísia e os protestos no Egito contra o presidente Hosni Mubarak são um "despertar islâmico" semelhante à Revolução Iraniana.

A maioria dos grupos de oposição no Egito, incluindo a Irmandade Muçulmana, tem defendido a natureza laica de seus protestos.

"A vitória é iminente... os poderes arrogantes estão próximos do fim... Nossa nação apoia sua decisão", disse ele a uma multidão em discurso na praça Azadi (Liberdade), em Teerã, enquanto pessoas gritavam "Mubarak, parabéns pela insurreição dos egípcios."

Ahmadinejad também antecipou a queda dos "poderes arrogantes" e pediu o "desmantelamento do regime sionista (Israel) que é a principal causa de todos os crimes". O Irã não reconhece Israel como Estado legítimo.

"Em breve, um novo Oriente Médio será criado... um Oriente Médio em que não há espaço para poderes arrogantes", disse Ahmadinejad, em discurso exibido ao vivo na televisão estatal.

Pessoas na praça agitavam bandeiras e levavam fotos do falecido líder da Revolução Iraniana, aiatolá Ruhollah Khomeini e de seu sucessor, o líder supremo aiatolá Ali Khamenei.      

veja também