MENU

Irã fecha acordo para enviar urânio à Turquia

Irã fecha acordo para enviar urânio à Turquia

Atualizado: Segunda-feira, 17 Maio de 2010 as 7:41

O Irã aceitou nesta segunda-feira (17) o acordo que prevê o envio de urânio para ser enriquecido no exterior, anunciou o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do país, Ramin Mehmanparast. A medida pode ajudar a diminuir a tensão entre a República Islâmica e as potências ocidentais que, lideradas pelos EUA, acusam o país persa de usar seu programa nuclear como fachada para a construção da bomba atômica, insinuação que Teerã nega.

Segundo o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Ahmet Davutoglu, o acordo foi fechado após 18 horas de negociações entre diplomatas iranianos, turcos e brasileiros. A solução para a questão nuclear era o principal objetivo do presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, que chegou ao Irã no último sábado (15) para uma polêmica visita oficial.

Lula está acompanhado do primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, que havia cancelado sua ida ao Irã, mas que acabou viajando de última hora para se juntar ao presidente brasileiro na tentativa de convencer a República Islâmica a aceitar a proposta, originalmente feita pela AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica), sobre a troca de urânio. A Press TV, canal oficial de TV em inglês do Irã, disse que a agência da ONU será notificada do acordo em até uma semana.

Pelo acordo, o Irã enviará 1.200 kg de urânio de baixo enriquecimento (3,5% de grau de pureza) à Turquia em troca do combustível nuclear enriquecido (20% de grau de pureza) para um reator usado em pesquisas médicas em Teerã.

A confirmação do acordo já era esperada após Davutoglu ter informado, no fim da tarde deste domingo (16), que as negociações estavam costuradas.

Lula se encontrou com Ahmadinejad na manhã e na tarde deste domingo, mas os governantes apenas enfatizaram o reforço de suas relações bilaterais, deixando de fora qualquer comentário sobre a questão nuclear. Endorgan, que está hospedado no mesmo hotel do líder brasileiro, conversou com a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, nesta última semana, antes de decidir ir ao Irã.

Última chance para o Irã

A Turquia era vista como parte crucial do acordo nuclear que Lula tentava costurar com o Irã, já que os turcos eram considerados mais 'confiáveis' pela República Islâmica do que a França, país que, pela proposta original da AIEA, receberia o urânio do país.

A mediação brasileira na questão iraniana era vista por EUA e Rússia como a última chance do Irã para evitar novas sanções econômicas da ONU (Organização das Nações Unidas). EUA, França, Reino Unido, Alemanha e Israel acusam o Irã de querer desenvolver bombas nucleares e pressionam por medidas mais duras contra a República Islâmica.

veja também