MENU

Judiciário do Irã descarta libertação iminente de dupla de americanos

Judiciário do Irã descarta libertação iminente de dupla de americanos

Atualizado: Quarta-feira, 14 Setembro de 2011 as 12:57

O Judiciário do Irã negou nesta quarta-feira (14) que seja iminente a libertação sob fiança de dois cidadãos dos Estados Unidos condenados por espionagem, informou a mídia estatal. O comunicado contraria declaração do presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, de que eles seriam soltos em alguns dias .

Segundo a TV estatal iraniana, um comunicado da Justiça afirmou: "Os dois americanos vão ficar na prisão por um pouco mais de tempo. Relatos sobre sua iminente libertação estão errados."

Analistas da política iraniana dizem que o contraste entre o comunicado do Judiciário e a promessa de Ahmadinejad evidencia a divisão na elite linha-dura que governa o país, ampliada com a reeleição dele em 2009 e os protestos que se seguiram.

Shane Bauer (à esquerda) e Joshua Fattal esperam para encontrar com suas mães em hotel em Teerã, em 21 de maio de 2010 (Foto: AP) O informe do Judiciário é também uma indicação da posição do poderoso líder supremo do país, aiatolá Ali Khamenei, na complexa estrutura política do Estado islâmico, disseram os analistas.

"O anúncio de Ahmadinejad não poderia ter sido feito sem que ele obtivesse sinal verde do líder... contudo, a iniciativa do Judiciário lembrou o presidente sobre as suas limitações", disse o especialista Said Monfared.

Ahmadinejad havia dito a uma TV dos EUA que os dois seriam soltos "dentro de dois dias", numa ação que qualificou como "gesto humanitário".

Shane Bauer e Josh Fattal foram presos em julho de 2009, com outra norte-americana, Sarah Shourd, quando faziam uma caminhada nas montanhas do Iraque, na fronteira com o Irã. Eles disseram que estavam fazendo turismo. Shourd foi libertada em setembro de 2010, após pagar fiança de US$ 500 mil.

O advogado dos dois, que cumprem pena de 8 anos de prisão por espionagem, disse na terça-feira que eles seriam soltos em breve, depois de pagarem fiança de US$ 500 mil cada.

Mas nesta quarta-feira o Judiciário iraniano afirmou que a libertação dos dois sob fiança está sendo reavaliada e que não está autorizada a "disseminação de informação sobre esse assunto por outros que não autoridades do Judiciário".        

veja também