MENU

Líderes europeus pedem transição imediata de governo no Egito

Líderes europeus pedem transição imediata de governo no Egito

Atualizado: Sexta-feira, 4 Fevereiro de 2011 as 2:01

Líderes da União Europeia pediram nesta sexta-feira (4) que a transição de governo comece "imediatamente" no Egito, respondendo às expectativas do povo com "reforma, e não repressão".

"O Conselho Europeu está seguindo com profunda preocupação a deteriorante situação no Egito", disseram os 27 líderes europeus em comunicado divulgado durante cúpula em Bruxelas.

"Todos os partidos deveriam mostrar moderação e evitar mais violência e começar uma transição ordeira para um governo de ampla base. O Conselho Europeu sublinha que esse processo de transição deve começar agora", continua o texto.     Na chegada da cúpula, o premiê da Itália, Silvio Berlusconi, "roubou a cena" ao elogiar o presidente do Egito, Hosni Mubarak, e ao pedir uma transição democrática "sem ruptura" no país.

Segundo Berlusconi, Mubarak é um "homem sábio".

"Mubarak foi considerado pelos países de todo Ocidente, liderados pelos Estados Unidos, como o homem mais sábio e um ponto de referência em todo Oriente Médio", disse.

O primeiro-ministro italiano se mostrou convencido que "todos os ocidentais pensam o mesmo", e reiterou sua esperança que o Egito possa ver "uma transição democrática" sem a ruptura com Mubarak, que está no poder há 30 anos.     As palavras de Berlusconi foram as mais amistosas ao presidente egípcio entre os dirigentes comunitários que discutiram sobre a situação do Egito na cúpula. Os demais engrossaram o coro pela sua saída.

"Esperamos que as forças de segurança egípcias atuem de forma que assegurem manifestações livres e pacíficas nesta sexta decisiva", disse a chanceler alemã, Angela Merkel.

Mubarak perderá toda a "credibilidade que lhe resta aos olhos do mundo ocidental" se as manifestações resultarem em novos atos de violência, advertiu, por sua parte, o primeiro-ministro britânico, David Cameron.

Já a chefe da diplomacia europeia, Catherine Ashton, afirmou que é "absolutamente essencial" que o governo Mubarak inicie um diálogo com a oposição.

"Nós estamos sendo muito claros em tudo o que afirmamos. O povo egípcio e o governo devem avançar juntos", disse.

"É absolutamente essencial que vejamos a movimentação necessária", completou Ashton, em referência à necessidade de diálogo entre Mubarak e a oposição.

O primeiro-ministro da Itália vai na contramão dos líderes mundiais que, liderados pelo presidente dos EUA, Barack Obama, aumentam a pressão para que Mubarak deixe o governo o mais rápido possível após 11 dias de protestos.    

veja também