MENU

Líderes gregos se reúnem para tentar acordo sobre novo governo

Líderes gregos se reúnem para tentar acordo sobre novo governo

Atualizado: Quinta-feira, 10 Novembro de 2011 as 10:11

Os partidos majoritários gregos tentam nesta quinta-feira (10), pelo quarto dia consecutivo, chegar a um acordo sobre quem será o primeiro-ministro do governo de coalizão na Grécia , necessário para aprovar o resgate pactuado com a zona do euro.

Líderes políticos estão reunidos desde as 6h desta quinta-feira (horário de Brasília) para superar as divergências entre socialistas e conservadores. Participam da reunião com o presidente Carolos Papoulias, o líder da oposição conservadora da Nova Democracia (ND), Antonis Samaras, e Giorgos Karatzaferis, do partido de extrema direita LAOS.

Na quarta-feira (9), o primeiro-ministro grego, George Papandreou, oficializou sua renúncia ao cargo, em rápido pronunciamento transmitido pela TV estatal grega. "Eu gostaria de desejar todo o sucesso ao novo primeiro-ministro e, claro, ao novo governo. Eu vou ficar ao lado deles e apoiá-los com toda a minha força", disse, em rápido discurso à nação.

Primeiro-ministro grego, George Papandreou, que anunciou sua renúncia ao cargo na quarta-feira, acena para repórteres na chegada da reunião que terá no Palácio Presidencial em Atenas (Foto: Reuters)  

Lucas Papademos

Segundo publicam nesta quinta-feira os meios de comunicação gregos, Papandreou e Samaras entraram em contato nas últimas horas com o ex-vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE) Lucas Papademos para conhecer sua disponibilidade para ocupar o cargo.

O canal da televisão estatal 'NET' informou que Papademos condicionou sua participação no novo governo à assinatura de ambos líderes de um compromisso sobre a aplicação do acordo do resgate financeiro aprovado em Bruxelas no último dia 26 de outubro, que perdoa 50% da dívida grega e concede um crédito de 130 bilhões de euros.

Além disso, exige que a ND participe do novo Governo e que a data inicial de 19 de fevereiro para as eleições adiantadas possa ser adiada para finalizar as negociações com a zona do euro e o Fundo Monetário Internacional (FMI).

Samaras declarou ontem à noite não ter problemas 'com nenhum candidato' e garantiu estar 'aberto a tudo'.

*com informações da EFE e Reuters

veja também