MENU

Mãe inocentada pela morte da filha de 2 anos será libertada nos EUA

Mãe inocentada pela morte da filha de 2 anos será libertada nos EUA

Atualizado: Quinta-feira, 7 Julho de 2011 as 1:11

Um juiz sentenciou a norte-americana Casey Anthony a quatro anos de prisão por ter mentido aos investigadores no caso da morte de sua filha de dois anos.

Mas, por já ter ficado quase três anos presa e com bom comportamento, ela deve ser libertada enttre o fim de julho e o início de agosto.

Ela foi sentenciada nesta quinta-feira (7), dois dias depois de ter sido absolvida pelo júri da acusação de ter assassinado sua filha Caylee.     A americana Casey Anthony aguarda sua sentença nesta quinta-feira (7)

 em Orlando, no estado americano da Flórida (Foto: AP)

Desde 24 de maio, Anthony, de 25 anos, vinha sendo julgada pela morte de Caylee, vista viva pela última vez em junho de 2008.

Um mês depois, a mãe de Casey, Cindy, ligou para o serviço de emergência (911) para denunciar o desaparecimento da criança.     Caylee com a avó, Cindy, em foto mostrada no

julgamento (Foto: AP)     Após seis meses de busca, a polícia encontrou o corpo da criança em decomposição num bosque perto da casa de Casey, em Orlando, com uma fita adesiva no rosto.

Promotores acusavam a mãe de ter pesquisado na internet como fazer clorofórmio em casa, teria usado o líquido para deixar a criança desacordada e, então, a teria matado usando fita adesiva para tapar sua boca e nariz. Eles pediam a pena de morte pelo crime.

Mas segundo o advogado de Casey, Jose Baez, a criança caiu acidentalmente em uma piscina, e a mãe, em pânico, teria acobertado a morte da filha com a ajuda do pai, George Anthony.

Casey Anthony foi inocentada da acusação de crime em primeiro grau pelo assassinato da filha, mas foi considerada culpada em quatro acusações de falsos testemunhos à justiça.

O caso, recheado de detalhes surpreendentes e versões conflitantes, é objeto frequente de discussões em talk shows, lidera listas de notícias mais lidas em vários portais americanos na internet e vem aparecido seguidamente entre os assuntos mais discutidos no Twitter nos Estados Unidos.        

veja também