MENU

México suspende aulas e países adotam medidas para evitar propagação da gripe suína

México suspende aulas e países adotam medidas para evitar propagação da gripe suína

Atualizado: Segunda-feira, 27 Abril de 2009 as 12

Brasília - Um dia após a Organização Mundial de Saúde (OMS) emitir um alerta sobre a possibilidade de o surto de gripe suína se tornar uma pandemia, o governo do México anunciou medidas radicais para tentar controlar a propagação do vírus que, somente no país, já matou 81 pessoas. As informações são da BBC Brasil.

No último domingo, dia 26 de abril, as autoridades mexicanas determinaram que todas as escolas da capital, Cidade do México, e do estado do México, suspendam as aulas pelas próximas duas semanas. Segundo o governo mexicano, na capital, a suspensão atinge mais de 5 mil escolas públicas e quase 4 mil particulares. Cerca de 1,8 milhão de alunos ficarão sem aula até o dia 6 de maio. O governo também afirma que das 81 mortes, 22 estão confirmadas como provocadas pelo vírus da gripe suína.

Além disso, eventos públicos como missas e partidas de futebol agendados para hoje, foram cancelados. De acordo com a BBC Brasil, cerca de 70% dos bares e restaurantes da capital foram temporariamente fechados.

As autoridades de saúde mexicanas estão autorizadas a isolar pessoas contaminadas quando julgarem necessário. Segundo o ministro da Saúde, José Córdova, um total de 1,3 mil pessoas já foram internadas com sintomas suspeitos da gripe suína e estariam passando por exames, desde o último dia 13.

Em outros países, autoridades de saúde também estão adotando medidas de prevenção contra a doença. A epidemia de gripe já cruzou a fronteira, espalhando-se também pelos Estados Unidos, onde 11 casos não-fatais da doença já foram confirmados. Sete pessoas foram contaminadas no estado da Califórnia, duas no Texas e duas no estado de Kansas.

Em Nova Iorque, o secretário de Saúde, Thomas Frieden, que é epidemiologista, disse que exames preliminares conduzidos em alguns estudantes demonstraram também possíveis casos da doença.

O ministro da Saúde da Nova Zelândia, Tony Ryall, disse que dez estudantes, que voltaram recentemente do México, apresentaram resultados positivos no exame para diagnósticos de gripe, podendo estar infectados pelo vírus da influenza suína.

No Brasil, o Ministério da Saúde informou que não existe, até o momento, registros ou suspeitas de que o vírus tenha chegado ao país. Mesmo assim, representantes do ministério, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento se reunirão para acompanhar a evolução epidemiológica da situação e indicar as medidas adequadas ao país. Por enquanto, o monitoramento nos aeroportos foi intensificado a fim de evitar a entrada de pessoas infectadas.

Medida semelhante foi adotada na Rússia e no Japão, onde os governos estão controlando a entrada de passageiros procedentes da América do Norte para identificar possíveis sintomas da doença. No Japão, informa a BBC Brasil, um representante do Ministério da Saúde garantiu que o governo irá impedir que pessoas que possam estar infectadas deixem o país.

Ontem (25), ao alertar para os riscos de a doença se espalhar por outras partes do mundo, a diretora de Saúde da OMS, Margaret Chan, classificou a nova variedade do vírus da gripe - detectada inicialmente no México – como "muito grave".

Ela disse que os governos devem ficar em alerta contra a propagação da doença. "Trata-se de uma situação séria que deve ser observada atentamente", disse Margaret Chan logo após se reunir, em Genebra, com um comitê de especialistas.

"Os vírus causadores das infecções são geneticamente iguais. Esta é uma variação do vírus H1N1 e tem potencial para causar uma pandemia, infectando pessoas. No entanto, com base nas atuais provas de laboratório, epidemiológicas e clínicas, não podemos falar se teremos ou não uma pandemia", acrescentou.

O vírus H1N1 - que infeta porcos e, esporadicamente, pode atingir humanos - é transmitido principalmente por espirros e tosses. Sua ação no organismo humano começa pelo sistema respiratório. Por esse motivo, a embaixada dos Estados Unidos no México aconselha a quem esteja visitando o país que permaneça a pelo menos 1,8 metros de distância de outras pessoas. Já o governo mexicano tem recomendado à população que evite cumprimentos com as mãos.

Os sintomas da doença são febre repentina acima de 39 graus, tosse, fortes dores de cabeça, musculares e nas juntas, irritação nos olhos e secreção nasal.

veja também