MENU

Militantes atacam consulado dos EUA no Paquistão

Militantes atacam consulado dos EUA no Paquistão

Atualizado: Segunda-feira, 5 Abril de 2010 as 12

Militantes usando armas e um carro-bomba atacaram o consulado dos EUA na cidade de Peshawar, no noroeste do Paquistão, nesta segunda-feira, horas após um ataque suicida ter matado ao menos 38 pessoas a cerca de 80 quilômetros dali, segundo oficiais.

Os homens armados primeiro atacaram um posto de segurança perto do consulado e depois explodiram a bomba ao chegar ao portão, segundo Liaqat Ali, chefe de polícia de Peshawar, porta de entrada do Afeganistão.

Já um oficial de inteligência do Paquistão disse, em condição de anonimato, que militantes vestindo uniformes de segurança atiraram morteiros e granadas tentando entrar no complexo, após a explosão dos carros-bomba num posto de segurança.

A embaixada americana disse que os ataques refletem o desespero dos militantes. "Os ataques coordenados envolveram um carro-bomba e terroristas tentando entrar no prédio usando granadas e armas de fogo", disse a embaixada, que afirmou que ao menos dois guardas paquistaneses foram mortos e vários ficaram feridos.

Segundo a agência Associated Press, citando o oficial de polícia Sattar Khan, foram três os mortos: um soldado paramilitar, um guarda de segurança particular e um civil. Quatro militantes também morreram no ataque e três pessoas ficaram feridas.

Funcionários e missões diplomáticas americanas foram atacadas várias vezes no Paquistão desde que o país do sul da Ásia aderiu a uma campanha americana contra militantes, após os atentados de 11 de Setembro nos EUA.

O porta-voz do Taleban, Azam Tariq, disse por telefone que o grupo está por trás do incidente. "Os americanos são nossos inimigos. Nós cometemos o ataque contra seu consulado em Peshawar e planejamos mais atentados desse tipo", disse Tariq.

Ele negou a autoria do incidente anterior desta segunda-feira, em um protesto político.

Ataque anterior

Mais cedo nesta segunda-feira, um suposto homem-bomba cometeu um atentado em um encontro do Partido Nacional Awami, um partido nacionalista Pashtun, no distrito do Baixo Dir, cerca de 80 quilômetros a nordeste de Peshawar.

A explosão matou ao menos 38 pessoas, segundo um médico ouvido pela Reuters. Segundo fontes ouvidas pela Associated Press, foram 41 mortos e 80 feridos.

O Partido Nacional Awami lidera um governo de coalizão na Província da Fronteira Noroeste (NWFP, na sigla em inglês) e também é membro da coalizão do governo federal. O partido é majoritariamente secular e se opõe aos militantes, que já atacaram encontros do partido antes.

O encontro comemorava a provável mudança do nome da Província, uma antiga demanda do partido. Uma emenda constitucional que deve ser aprovada no Parlamento esta semana muda o nome da Província da Fronteira Noroeste para Khyber-Pakhtunkhwa, dando mais representatividade a população dominante Pashtun.

Os ataques desta segunda-feira mostram a resistência dos militantes no Paquistão, apesar das intensas operações do Exército e ataques de mísseis americanos na região próxima à fronteira com o Afeganistão.

veja também