MENU

Militares tailandeses reconhecem vitória eleitoral da oposição

Militares tailandeses reconhecem vitória eleitoral da oposição

Atualizado: Segunda-feira, 4 Julho de 2011 as 2:12

Os poderosos militares tailandeses aceitaram na segunda-feira a ampla vitória eleitoral do partido do foragido ex-premiê Thaksin Shinawatra, o que reforçou a sensação de estabilidade num país que viveu sob turbulências desde o golpe militar que o depôs, há cinco anos.

O partido Puea Thai, dirigido por Yingluck Shinawatra, irmã mais nova do ex-primeiro-ministro, venceu as eleições de domingo no país, e na segunda-feira os militares disseram que não irão impedi-la de formar um novo governo, segundo uma fonte do Ministério da Defesa.

"Posso lhes assegurar que os militares não têm o desejo de se afastarem das suas funções", disse o general Prawit Wongsuwan, um ex-comandante do Exército muito ligado aos líderes militares envolvidos no golpe de 2006 contra Thaksin. "O Exército aceita o resultado eleitoral", acrescentou.

Resultados preliminares estimam que o Puea Thai elegeu 264 dos 500 deputados. Com essa maioria, os rivais de Thaksin dificilmente conseguirão impedir que Yingluck se torne a primeira mulher a ocupar o cargo de primeira-ministra no país.

Qualquer tentativa de barrá-la deveria desencadear uma nova onda de protestos dos "camisas vermelhas", como são chamados os simpatizantes da família Shinawatra, que travaram violentos protestos contra o Exército no ano passado.

Yingluck disse que pretende formar uma coalizão com cinco partidos, envolvendo 299 parlamentares, o que lhe daria força política para cumprir suas promessas eleitorais - o que inclui desde a ampliação do metrô da capital a aumentos salariais generalizados e concessões de ajudas financeiras para aumentar o poder de compra da população, especialmente nas zonas rurais.

Thaksin, que como primeiro-ministro adotava políticas populistas, foi acusado de corrupção depois do golpe e está num exílio voluntário, mas continua sendo muito popular, especialmente no interior e entre os tailandeses mais pobres.

A Bolsa da Tailândia --segunda maior economia do Sudeste Asiático-- teve alta de 4% na segunda-feira, refletindo a perspectiva de estabilização do país. O baht se valorizou 1% frente ao dólar, alcançando sua maior cotação em uma semana, e sinalizando a reversão de uma fuga de US$ 1,4 bilhão durante a campanha eleitoral.

veja também