MENU

Ministro acusado de ter recebido 150.000 euros para campanha de Sarkozy

Ministro acusado de ter recebido 150.000 euros para campanha de Sarkozy

Atualizado: Terça-feira, 6 Julho de 2010 as 10:20

A ex-contadora de Liliane Bettencourt, herdeira do império dos cosméticos L'Oréal, afirmou que a campanha eleitoral do presidente francês Nicolas Sarkozy recebeu uma doação ilegal de 150.000 euros em dinheiro, em declarações publicadas nesta terça-feira (06) em um site de notícias.

Pessoas ligadas a Sarkozy qualificaram imediatamente a acusação de "totalmente falsa".

A nova alegação é mais uma para uma série de escândalos e polêmicas, que no domingo provocaram a renúncia de dois ministros.

A contadora, identificada como Claire T. pelo site de notícias Mediapart, afirma que o atual ministro do Trabalho, Eric Woerth, recebeu a quantia quando era tesoureiro do partido UMP (direita, no poder) para financiar a campanha de Sarkozy em 2007.

Na entrevista, Claire T. também afirma que Sarkozy, quando era prefeito de de Neuilly-sur-Seine, um dos municipios mais ricos da França, ao oeste de Paris, de 1983 a 2002, era "um convidado habitual" da mesa dos Bettencourt e "também recebia sua parte".

"É totalmente falso", respondeu uma pessoa ligada a Sarkozy, entrevistada pela AFP.

"Tudo isto é falso", declarou o porta-voz do ministério do Trabalho.

Woerth está no centro de uma polêmica por ter sido ministro do Orçamento entre 2007 e 2010, período em que sua esposa administrava parte da fortuna de Liliane Bettencourt, a mulher mais rica da França, suspeita de fraude fiscal.

Claire T. trabalhou para a herdeira da L'Oreal durante 12 anos, até novembro de 2008.

veja também