MENU

Ministro da Itália analisa caso Battisti com embaixador

Ministro da Itália analisa caso Battisti com embaixador

Atualizado: Terça-feira, 4 Janeiro de 2011 as 11:38

O ministro das Relações Exteriores da Itália, Franco Frattini, se reuniu nesta terça-feira (4) com o embaixador do país no Brasil, Gherardo La Francesca, com quem pretendia analisar os próximos passos em relação ao caso do ex-militante de esquerda Cesare Battisti.

Em nota, o ministério informou que também participaram da reunião o vice-chanceler Vincenzo Scotti e o representante da nação na União Europeia (EU), Ferdinando Nelli Feroci.

Os diplomatas analisavam as futuras ações da Itália, pela via jurídica, após a decisão brasileira de não extraditar o ex-ativista, anunciada no último dia do governo de Luiz Inácio Lula da Silva. O governo do premier Silvio Berlusconi estuda, inclusive, levar o tema ao âmbito da UE.

Condenado à prisão perpétua na Itália por quatro homicídios na década de 1970 quando integrava o grupo Proletários Armados pelo Comunismo (PAC), Battisti recebeu do governo brasileiro o status de refugiado político em janeiro de 2009.

Ainda no último ano, o caso foi julgado pelos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), que se expressaram a favor da extradição, determinando, contudo, que o parecer final caberia ao então presidente.

No dia 31, Lula se pronunciou a favor da permanência do italiano no Brasil, o que fez com que Frattini chamasse seu embaixador para consultas.

Também hoje partidos políticos realizarão manifestações de repúdio à decisão brasileira em frente à Embaixada do Brasil em Roma, localizada na Piazza Navona, e consulados brasileiros em Bari, Bolonha, Milão, Nápoles e Florença.

Participarão das mobilizações tanto militantes governistas - como os integrantes do Povo da Liberdade (PDL) - quanto de oposição - entre eles os membros do Partido Democrata (PD, de centro-esquerda) -, além de setores estudantis.

Virgilio Falco, responsável nacional do movimento estudantil próximo ao PDL, chamou Battisti de terrorista.

- Aderimos às manifestações de protestos que ocorrem hoje nas representações diplomáticas do Brasil para pedir ao novo governo de Brasília a extradição do terrorista Cesare Battisti.

Por sua vez, Berlusconi se reunirá com uma das vítimas dos crimes atribuídos ao italiano. Alberto Torregiani ficou paraplégico e perdeu o pai, Pierluigi, em um atentado.

Cesare Battisti continua no presídio da Papuda, em Brasília, onde aguarda a conclusão do processo. A libertação do ex-ativista, como pede a defesa, deverá ser decidida quando o Supremo retornar do recesso, no próximo mês.

veja também