MENU

Mubarak chega de maca ao tribunal para nova audiência no Egito

Mubarak chega de maca ao tribunal para nova audiência no Egito

Atualizado: Segunda-feira, 5 Setembro de 2011 as 10:38

A terceira audiência do julgamento do ex-presidente egípcio Hosni Mubarak teve início nesta segunda-feira (5) no Cairo, depois que o ex-governante chegou ao tribunal de maca. Do lado de fora do tribunal, manifestantes entraram em confronto com a polícia egípcia.

Mubarak, de 83 anos, que também compareceu de maca às audiências de 3 e 15 de agosto, chegou de ambulância ao tribunal que o julga por acusações de corrupção e assassinatos. O ex-ditador está no hospital desde abril com problemas cardíacos e outras doenças relacionadas.

Manifestantes anti-Mubarak entram em confronto com a polícia em frente ao

 local do julgamento do ex-ditador (Foto: Amr Nabil/AP)

  O processo contra Mubarak entra nesta segunda-feira em uma nova fase, com o início dos depoimentos de testemunhas para determinar a responsabilidade do ex-presidente nas mortes de manifestantes durante a revolta que acabou com seu regime no início do ano. O juiz Ahmed Refaat proibiu a cobertura televisiva do julgamento após a segunda sessão, em que os entusiasmados egípcios assistiram ao ex-líder, de 83 anos, sendo julgado atrás das grades. Os advogados aplaudiram a decisão do juiz, dizendo que impediria que testemunhas fossem influenciadas por outras testemunhas ou pelo público.

Simpatizantes seguravam cartazes de Mubarak, gritando: 'Ele nos deu 30 anos de proteção, Mubarak mantenha sua cabeça erguida.'

Nas proximidades, manifestantes anti-Mubarak atiraram pedras contra a polícia e alguns oficiais revidaram com mais pedras. Em certo momento, policiais com escudos e cassetete avançaram contra um grupo de manifestantes.

O objetivo do comparecimento das testemunhas é determinar se a ordem de abrir fogo contra os manifestantes durante os eventos de janeiro e fevereiro, que resultaram na renúncia de Mubarak, foi dada ou não pelo ex-homem forte do regime. O ex-ditador é o primeiro líder deposto que vai a julgamento desde os levantes que começaram no começo deste ano.

A repressão da revolta provocou 850 mortes, segundo os números oficiais. Se for considerado culpado, Mubarak pode ser condenado à pena de morte.      

veja também