MENU

Mulheres de dissidentes são detidas durante passeata em Cuba

Mulheres de dissidentes são detidas durante passeata em Cuba

Atualizado: Quarta-feira, 17 Março de 2010 as 12

As "Damas de Blanco", um grupo formado por esposas, mães e parentes de presos políticos cubanos, foram detidas nesta quarta-feira (17) pela polícia durante uma passeata em Havana. Ela foram obrigadas a subir à força, em dois ônibus, segundo testemunhas.

Em torno de 30 mulheres realizavam uma passeata no bairro de Párraga, no sudoeste de Havana, quando foram confrontadas por, ao menos, 300 partidários do regime cubano e obrigadas pela polícia feminina a subir nos ônibus. 

Laura Pollán, porta-voz do grupo dissidente, disse que ela foi levada para casa. Ela qualificou o ato como um "sequestro".

Foi o terceiro dia seguido de protestos das parentes de dissidentes. Elas marcavam o sétimo aniversário das condenações a seus 75 familiares, ocorrida na primavera de 2003.

À frente do grupo estava Reyna Luisa Tamayo, mãe de Orlando Zapata, o preso político que morreu em 23 de fevereiro depois de dois meses e meio de greve de fome, para exigir melhores condições na prisão.

Até domingo, as Damas de Branco previam rezar por seus familiares e realizar reuniões e passeatas silenciosas.

Em 21 de abril de 2008, a polícia aplicou medida semelhante para dissolver uma manifestação que as "Damas de Blanco" realizavam na Praça da Revolução. Naquela ocasião, as mulheres foram levadas diretamente para suas casas.

Fontes: G1

Postado por Débora Padoin Malva

veja também