MENU

Novo Congresso assume nos EUA e deve dificultar governo de Obama

Novo Congresso assume nos EUA e deve dificultar governo de Obama

Atualizado: Quarta-feira, 5 Janeiro de 2011 as 10:50

O Congresso dos EUA inaugura nesta quarta-feira (5) sua 112ª legislatura, com um novo equilíbrio de forças que deve dificultar as coisas para o presidente Barack Obama na segunda metade de seu mandato.

Os republicanos tomaram dos democratas a maioria na Câmara de Representantes nas eleições legislativas de 2 de novembro.

A jornada começará com o juramento dos legisladores e do novo presidente da Câmara, o republicano John Boehner, e imediatamente os congressistas votarão uma nova série de regulamentos legislativos.

Os republicanos já programaram uma votação para revogar a reforma do sistema de saúde na próxima semana, mas os democratas prometeram resistir às tentativas.

Outra prioridade da nova maioria republicana, fiel à promessa de austeridade fiscal que fizeram aos eleitores no pleito de novembro, será eliminar um total de US$ 100 bilhões das despesas para programas internos este ano.

Os líderes republicanos não detalharam quais os programas que sofrerão cortes, mas deixaram claro que serão mantidas as despesas relacionadas com a defesa, a segurança nacional e os serviços a veteranos.

A maioria republicana também prepara iniciativas legislativas para endurecer a política migratória, voltando-se para os ilegais.

Qualquer medida aprovada pelos republicanos na Câmara de Representantes, porém, poderá enfrentar resistência no Senado, onde os democratas ainda têm vantagem numérica e podem bloquear esses projetos.

Além disso, o presidente Barack Obama poderia recorrer a seu poder do veto de medidas que contenham cortes.

Os republicanos também aproveitarão sua nova maioria na Câmara para ordenar investigações de todo o tipo.

O Comitê de Supervisão e Reforma Governamental da Câmara, que será presidida pelo republicano Darrell Issa, deve lançar investigações sobre assuntos como os vazamentos do site WikiLeaks, a suposta corrupção no Afeganistão e o papel das instituições Fannie Mae e Freddie Mac na crise hipotecária, segundo a revista "Político".

A ex-presidente da Câmara e agora líder da minoria democrata, Nancy Pelosi, disse na terça-feira que seu partido está disposto a trabalhar com os republicanos, mas manterá uma "tenaz" oposição se os membros do partido adversário tomarem medidas para "solapar" a economia.

'Nosso trabalho é governar'

O presidente Obama afirmou nesta terça que acredita que os republicanos- tentarão combater suas reformas, mas que, em última instância, trabalharão com ele para melhorar a economia americana.

"Acho que vai haver jogo político, isso é o que acontece em Washington", afirmou Obama aos jornalistas que o acompanhavam a bordo do avião presidencial "Air Force One", que o trouxe de volta do Havaí,onde passou dez dias de férias com a família.

"Os republicanos vão tentar fazer seu jogo durante certo tempo, mas tenho bastante confiança de que vão reconhecer que nosso trabalho é governar e assegurar que estamos gerando empregos para o povo americano e criando uma economia competitiva", afirmou.

Obama não respondeu a uma pergunta sobre os planos republicanos de revogar sua lei de reforma do sistema de saúde.

veja também