MENU

Número de mortos por deslizamentos de terra na China sobe para 700

Número de mortos por deslizamentos de terra na China sobe para 700

Atualizado: Terça-feira, 10 Agosto de 2010 as 10:58

O número de mortos por deslizamentos de terra na Província de Gansu, no noroeste da China, aumentou para 702 e pelo menos 1.042 pessoas continuam desaparecidas, segundo informações do governo e da mídia estatal chinesa.

Os deslizamentos são causados pelas chuvas torrenciais que atingem a região desde sábado. As chuvas destruíram as margens do Rio Bailong e uma grande quantidade de água, lama e rochas atingiu morros e casas. O repórter da BBC na região Chris Hogg disse que prédios de até sete andares de altura foram derrubados "como papel", por quantidades enormes de lama.

A previsão é de que mais chuvas fortes atinjam o condado de Zhougu nos próximos três dias. Segundo o repórter da BBC, as buscas por sobreviventes seguem em um ritmo "frenético". Mais de 4,5 mil pessoas, entre soldados, bombeiros e médicos, trabalham na procura e na ajuda às vítimas. Helicópteros e outras aeronaves foram enviados para o local. Para encontrar sobreviventes entre os escombros, as equipes contam com a ajuda de cães farejadores.

Histórias

Passadas mais de 50 horas do início da tragédia, um homem de 52 anos foi resgatado . As equipes de salvamento em toda a região procuram identificar sons que indiquem a presença de sobreviventes entre os escombros.

Entretanto, o enviado da BBC a Gansu relata que são muitas as histórias de pessoas que perderam suas famílias. À medida que o tempo passa, a esperança diminui, disse o repórter.

Em visita ao local do desastre na segunda-feira, o primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, afirmou que as prioridades agora são as buscas por sobreviventes e o fornecimento de água potável às vítimas. "Atualmente, os desafios são expandir as buscas e resgates, lidar com o grande lago formado pelos deslizamentos de maneira científica, limpar a lama e retomar o fornecimento de água potável", declarou.

Centenas de soldados foram enviados para o local para retirar o entulho que represa as águas, em uma tentativa de evitar novas inundações. Ao todo, quase 2 mil pessoas já morreram neste ano em enchentes que afetaram o centro e sul da China. Os prejuízos são de bilhões de dólares por causa das casas destruídas e terras produtivas inundadas, segundo o correspondente da BBC em Pequim Michael Bristow.

O número de mortos por deslizamentos de terra na Província de Gansu, no noroeste da China, aumentou para 702 e pelo menos 1.042 pessoas continuam desaparecidas, segundo informações do governo e da mídia estatal chinesa.

Os deslizamentos são causados pelas chuvas torrenciais que atingem a região desde sábado. As chuvas destruíram as margens do Rio Bailong e uma grande quantidade de água, lama e rochas atingiu morros e casas. O repórter da BBC na região Chris Hogg disse que prédios de até sete andares de altura foram derrubados "como papel", por quantidades enormes de lama.

A previsão é de que mais chuvas fortes atinjam o condado de Zhougu nos próximos três dias. Segundo o repórter da BBC, as buscas por sobreviventes seguem em um ritmo "frenético". Mais de 4,5 mil pessoas, entre soldados, bombeiros e médicos, trabalham na procura e na ajuda às vítimas. Helicópteros e outras aeronaves foram enviados para o local. Para encontrar sobreviventes entre os escombros, as equipes contam com a ajuda de cães farejadores.

Histórias

Passadas mais de 50 horas do início da tragédia, um homem de 52 anos foi resgatado . As equipes de salvamento em toda a região procuram identificar sons que indiquem a presença de sobreviventes entre os escombros.

Entretanto, o enviado da BBC a Gansu relata que são muitas as histórias de pessoas que perderam suas famílias. À medida que o tempo passa, a esperança diminui, disse o repórter.

Em visita ao local do desastre na segunda-feira, o primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, afirmou que as prioridades agora são as buscas por sobreviventes e o fornecimento de água potável às vítimas. "Atualmente, os desafios são expandir as buscas e resgates, lidar com o grande lago formado pelos deslizamentos de maneira científica, limpar a lama e retomar o fornecimento de água potável", declarou.

Centenas de soldados foram enviados para o local para retirar o entulho que represa as águas, em uma tentativa de evitar novas inundações. Ao todo, quase 2 mil pessoas já morreram neste ano em enchentes que afetaram o centro e sul da China. Os prejuízos são de bilhões de dólares por causa das casas destruídas e terras produtivas inundadas, segundo o correspondente da BBC em Pequim Michael Bristow.

Postado por: Thatiane de Souza

veja também