MENU

Obama diz que "se conseguiu evitar o pior" diante da crise

Obama diz que "se conseguiu evitar o pior" diante da crise

Atualizado: Quinta-feira, 23 Julho de 2009 as 12

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, assegurou nesta quarta-feira, 22 de julho, que a reforma do sistema público de saúde nos Estados Unidos é "central" para a recuperação econômica do país.

Em breve discurso, Obama assegurou que após herdar a pior crise econômica em mais de 50 anos, se "conseguiu evitar o pior". Porém, frisou que "ainda há muito a fazer" e que "a reforma sanitária é central neste esforço".

Com a entrevista, a quarta em horário nobre da TV em seis meses de governo, Obama quer promover o apoio do público à reforma de saúde, uma de suas grandes promessas eleitorais, cujo apoio diminuiu gradualmente entre os eleitores e o Congresso. O presidente dos EUA tenta retomar o controle do debate sobre a reforma do setor de saúde e evitar que seu ambicioso plano empaque em meio às discordâncias no Congresso.

Segundo Obama, os cerca de 48 milhões de americanos que carecem de cobertura de saúde estão esperando sua liderança. "Não devemos despontá-los. Aprovaremos uma reforma que reduza os custos, aumente as opções e forneça uma cobertura confiável", disse o presidente, que reiterou que as mudanças acontecerão ainda este ano.

Um dos principais argumentos empregados contra a medida é o custo, que alguns analistas avaliam em cerca de US$ 1 trilhão.

O presidente americano explicou esses temores ao dizer que "a reforma do sistema sanitário não engordará o déficit nos próximos dez anos".

Obama explicou que "dois terços do custo da reforma podem ser cobertos redistribuindo o dinheiro que simplesmente se desperdiça em programas de saúde federais".

O objetivo de Obama no evento na Casa Branca é de assegurar aos norte-americanos que seu plano melhorará o sistema atual, pode ser sustentado e não ampliará o déficit orçamentário do país. Segundo ele, se não foi feita a reforma e controladas as despesas com saúde, não será possível regular o déficit do país.

Derretimento financeiro

Obama disse ainda que as condições econômicas dos EUA "estariam ainda piores" se o governo não tivesse feito um plano de resgate do sistema financeiro. "Estávamos à beira de um derretimento financeiro total", afirmou.

Ele acrescentou que agora há "estabilização" no sistema financeiro norte-americano. "Nos afastamos da beirada", disse.

veja também