MENU

Obama faz comício a duas semanas das eleições legislativas

Obama faz comício a duas semanas das eleições legislativas

Atualizado: Segunda-feira, 18 Outubro de 2010 as 10:08

O presidente Barack Obama tentou dar mais força à campanha do Partido Democrata para as eleições legislativas de meio mandato, reunindo 35.000 pessoas em um comício no domingo em Ohio ao lado da primeira-dama Michelle. Obama demonstrou que ainda tem carisma para atrair uma multidão de jovens simpatizantes, apesar da queda de popularidade nas pesquisas e do medo dos democratas de sofrer uma grande derrota para os republicanos na votação de 2 de novembro.

O ato de domingo foi uma tentativa de estimular a campanha no estado que liderou os esforços para levar Obama à Casa Branca, mas que foi muito afetado pela recessão e pelo desemprego, o que deixa os democratas com receio de pagar um alto custo político.

"Em pouco mais de duas semanas vocês podem estabelecer a direção deste estado e deste país", disse Obama à multidão reunida na Ohio State University, em uma tentativa de reverter o aparente favoritismo dos republicanos, a apenas 15 dias das eleições legislativas. "Assim como fizeram em 2008, vocês podem mudar esta visão convencional", completou o presidente. Obama tinha como objetivo estimular os jovens a comparecer às urnas, apesar de seu nome não estar nas cédulas agora, em um comício que lembrou sua histórica campanha eleitoral à presidência.

"Todos dizem, ''Não, vocês não podem'', mas em 2008 nós mostramos que ''Sim, nós podemos''", completou Obama ao recordar o slogan de sua campanha. A Casa Branca se lançou em uma ampla ofensiva eleitoral, com a intenção de lutar contra os prognósticos e impedir que as legislativas de 2 de novembro entravem as ambições reformistas do presidente Barack Obama. A duas semanas da renovação parcial do Congresso, o casal Obama e o vice-presidente Joe Biden percorrem o país em busca de um novo voto de confiança para o Partido Democrata, que pode perder a maioria na Câmara de Representantes.

Os trabalhos estão divididos: o chefe de Estado se ocupa de atacar a estratégia de "obstrução" dos republicanos, aos quais acusa de controlar suas reformas no Congresso; cabe a Biden evitar que a classe média americana se filie ao "Tea Party", novo grupo conservador republicano em crescimento; e Michelle Obama tem a incumbência de assumir os discursos compassivos e os pedidos de paciência.

O comício em Ohio foi o primeiro ato em campanha do casal desde 2008. A ofensiva eleitoral, que levará o presidente a pelo menos nove estados em 11 dias, inclui três da costa oeste, com escalas sucessivas em Oregon, Washington, Califórnia e Nevada. No caminho de volta para a capital, Obama vai parar no próximo sábado em Mineápolis (Minnesota) e na segunda-feira seguinte em Rhode Island para participar de um comício de arrecadação de fundos para o Partido Democrata.

Na sexta-feira, Obama apareceu ao lado de Biden em Delawarepara defender a cadeira que este último ocupou durante 36 anos no Senado, e cuja sucessão é disputada por uma candidata do "Tea Party" de alto perfil e em crescimento, a novata Christine O''Donnell. O Partido Democrata dispõe atualmente de 59 das 100 cadeiras no Senado. Os republicanos precisam conquistar 10 cadeiras se quiserem obter a maioria na Câmara Alta, necessária para validar as orientações políticas de qualquer governo.

Na Câmara de Representantes, os republicanos precisam de 39 cadeiras para tirar a maioria dos democratas. Em 2 de novembro, os americanos renovam a Câmara de Representantes em sua totalidade, um terço do Senado e 37 dos 50 governadores.    

veja também