MENU

Obama pede acordo a republicanos

Obama pede acordo a republicanos

Atualizado: Quinta-feira, 4 Março de 2010 as 12

O presidente Barack Obama instou os legisladores a fazerem uma votação definitiva sobre a reforma do sistema de saúde e recorrerem a uma manobra legislativa para contornar a resistência dos republicanos, caso necessário. "O Congresso dos EUA deve ao povo americano um voto final sobre a reforma do sistema de saúde", disse Obama em discurso ontem, na Casa Branca. Ele pediu aos legisladores que votem a lei nas próximas semanas, para que ele possa assiná-la antes da Páscoa. Obama deu a entender que, caso necessário, os democratas devem recorrer a uma controvertida manobra parlamentar chamada de reconciliação. Essa medida permite aprovar legislação que influencie no orçamento federal por meio de uma maioria simples de 51 votos no Senado. Com isso, os democratas não precisariam de 60 votos para evitar as obstruções. Atualmente, os democratas têm 59 votos no Senado.

A reforma do sistema de saúde é o principal ponto da agenda doméstica de Obama. A lei vem sendo negociada no Congresso há um ano. Mas empacou depois de os democratas perderem a maioria qualificada de 60 votos no Senado em janeiro, quando um republicano ganhou a vaga do ex-senador Ted Kennedy no Massachusetts. Se Obama não conseguir aprovar a legislação será uma enorme derrota política para ele e pode prejudicar o Partido Democrata nas eleições legislativas de novembro.

Os republicanos vêm dizendo que usar a reconciliação para aprovar a reforma do sistema de saúde será uma atitude partidária e radical e medida não deve ser usada para grandes mudanças de políticas, embora eles mesmos tenham recorrido à manobra para aprovar reforma na assistência médica para crianças. A oposição acusa Obama de enfiar uma lei goela abaixo do Congresso e quer que os democratas recomecem do zero a negociação da lei, chegando a uma proposta com grande colaboração dos republicanos. "Estou muito decepcionado, o presidente Obama simplesmente disse aos democratas para aprovarem a lei de qualquer maneira e não ouviu a oposição de muitos americanos à legislação", disse o senador republicano Lamar Alexander.

Os democratas acham que os republicanos vão se opor a qualquer proposta apresentada por eles, simplesmente para privar Obama de uma vitória política. E eles lembram que os próprios republicanos já usaram a manobra de reconciliação para aprovar diversas legislações, como os dois cortes de impostos do ex-presidente George W. Bush.

No discurso, Obama tentou responder a várias das críticas dos republicanos. Ele afirmou, por exemplo, que a legislação que ele propõe inclui várias propostas da oposição, como tribunais especiais para processos por erro médico, corte de desperdícios e fraudes no sistema de saúde. Mas o deputado republicano Eric Cantor afirma que essas são propostas simbólicas numa legislação de trilhões e Obama quis apenas se garantir, dizendo que acolheu sugestões republicanas.

veja também