MENU

Olimpíadas transformam o transporte urbano de Pequim

Olimpíadas transformam o transporte urbano de Pequim

Atualizado: Quarta-feira, 13 Agosto de 2008 as 12

Foram sete anos de preparativos que mobilizaram arquitetos do mundo todo e transformaram a capital da China no maior canteiro de obras do planeta. A principal transformação no transporte urbano de Pequim para as Olimpíadas 2008 foi a ampliação do sistema de metrô, com investimentos de 8,3 bilhão de dólares, criação de três novas linhas, ampliação de outra, substituição de vagões, reforma e construção de estações. Além da redução do valor do bilhete de 3 remembis (R$ 0,75) para 2 rmb (R$ 0,50), quando a primeira das novas linhas foi inaugurada, em julho de 2007.

A malha total de metrô passou de 114 para 200 quilômetros, em oito linhas. E uma nova linha começou a ser construída em junho deste ano. Mais 27 quilômetros serão agregados ao sistema até 30 de setembro de 2009, data fixada para o término das obras.

A ampliação do metrô começou em 2002, com a Linha 5, que liga o Norte ao Sul de Pequim. Foram quatro anos e nove meses de obras até a inauguração, em julho de 2007. As outras duas linhas (10 e 8) foram abertas ao público em junho e julho deste ano. A Linha 10 percorre o chamado terceiro anel da cidade (Pequim é geograficamente definida por anéis ao redor da "Cidade Proibida", que é conhecido o centro da cidade).

A linha 8, com quatro quilômetros e quatro estações, foi construída especialmente para levar os visitantes aos endereços mais importantes dos Jogos. Cada uma é decorada com as cores e representações de uma estação do ano.

As estações novas das outras linhas também ganharam decoração diferenciada, porém o mais interessante é o sistema de segurança. Um paredão de vidro temperado separa a plataforma dos trilhos, impedindo acidentes. Uma porta de vidro se abre simultaneamente à do vagão, para a entrada e saída de pessoas. Em cada estação há indicação da parada anterior e da seguinte e dentro dos trens um painel luminoso vai sinalizando o caminho percorrido.

Outra alteração no sistema de transporte foi a substituição dos bilhetes de papel, utilizados durante 30 anos, por cartões magnéticos. O cartão recarregável pode ser usado também nos ônibus e táxis de Pequim. O novo sistema entrou em vigor em junho deste ano.

Além dos investimentos no metrõ, foram criados corredores para três linhas rápidas de ônibus (duas já em funcionamento). A zona oeste da cidade recebeu uma grande estação de distribuição de linhas de ônibus, a DongZhiMen. O Aeroporto de Pequim ganhou uma nova estrada de acesso e foi equipado com um terceiro terminal, projetado pelo arquiteto e urbanista inglês Norman Foster, que também assina o Estádio Olímpico de Paris (construído para os Jogos de 1994); o Estádio Nacional de Wembley, em Londres; a Torre de Collserola, em Barcelona; e o Aeroporto Internacional de Hong Kong.

A substituição da frota de táxis foi outra medida do pacote que modernizou o sistema de transporte público de Pequim para os Jogos Olímpicos. Com subsídio público, em 9 de agosto de 2007 cinco mil carros foram substituídos por modelos mais novos. Desde então, outros 67 mil táxis foram colocados em circulação.

Por fim, foi adotado ainda um sistema de rodízio de carros, de acordo com a placa (par ou ímpar). Programado para o período dos Jogos, o rodízio deve ser mais uma das heranças para a população de Pequim. Os Jogos Olímpicos vão deixar, entre outros legados, um moderno e eficiente sistema de transporte urbano para a cidade.

veja também