MENU

ONU encerra missão na cidade afegã de Kandahar

ONU encerra missão na cidade afegã de Kandahar

Atualizado: Terça-feira, 27 Abril de 2010 as 12

A Organização das Nações Unidas disse nesta terça-feira, 27, que retirou temporariamente seus funcionários e encerrou sua missão em Kandahar, a cidade afegã que teve sua segurança deteriorada antes do começo de uma importante ofensiva militar.

A porta-voz da ONU Susan Manuel disse que alguns empregados estrangeiros no escritório de Kandahar foram transferidos por segurança a capital Cabul, e que havia sido dito aos funcionários afegãos que permanecessem em seus postos.

A porta-voz não disse quantos empregados internacionais foram retirados e quantos permaneceram na cidade, ou se havia uma ameaça específica que levou a organização a tomar essa decisão.

"A situação de segurança chegou a um ponto onde tivemos que retirá-los ontem (...) Esperamos que possamos voltar e seguir fazendo o que estivemos fazendo. Vemos essa situação como temporária", declarou Manuel.

Forças da OTAN planejam nos próximos meses em Kandahar - a principal cidade do sul do país e centro do movimento taleban - a maior ofensiva militar da guerra que já dura quase nove anos.

De acordo com os planos, que começarão a desenvolver em junho, cerca de 8.000 soldados americanos e canadenses assegurarão áreas rurais em torno da cidade enquanto que uma brigada recém enviada de 3.500 efetivos americanos escoltará 6.700 policiais afegãos em áreas urbanas.

No total, a ofensiva envolverá cerca de 23 mil efetivos terrestres da OTAN e policiais afegãos.

Nas últimas semanas foi observado um aumento no ataques e assassinatos na cidade, que possui cerca de 500 mil habitantes. Os ataques com bombas ocorrem quase que diariamente, com insurgentes realizando ataques suicidas e incursões durante as últimas semanas.

O chefe do conselho provincial de Kandahar, o meio-irmão do presidente Hamid Karzai, Ahmad Wali Karzai, disse que a ONU está tendo uma reação extremada ao retirar seus funcionários da região.

"Condenamos energeticamente esse ato da ONU de retirar-se de Kandahar. Essa é uma decisão irracional que não foi discutida com as autoridades locais", disse em uma coletiva de imprensa.

"A situação não é tão ruim como acha a ONU (...) eles não estão aqui para uma festa. Eles sabem que estão em uma zona de guerra. Essa decisão deixará uma má impressão no cidadãos de Kandahar", manifestou Karzai.

veja também