MENU

ONU nega que vazamento de e-mails coloque teoria do aquecimento global em dúvida

ONU nega que vazamento de e-mails coloque teoria do aquecimento global em dúvida

Atualizado: Segunda-feira, 7 Dezembro de 2009 as 12

Rajendra Pachauri, presidente do IPCC (Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas), órgão vinculado à ONU (Organização das Nações Unidas) defendeu enfaticamente nesta segunda-feira (7) os indícios de que o homem é responsável pelo aquecimento global, depois de críticos afirmarem que o vazamento de emails de uma universidade britânica coloca dúvidas sobre essas evidências.

''A consistência interna de linhas múltiplas de evidência apoiam fortemente o trabalho da comunidade científica, incluindo aquelas apontadas nas trocas de emails''.

Computadores da Universidade East Anglia, no Reino Unido, um dos centros de maior prestígio internacional neste assunto, foram invadidos e mais de mil e-mails e 3.000 documentos trocados entre cientistas do clima foram roubados. O material, que revelaria uma suposta manipulação de dados para reforçar a tese do aquecimento global, está sendo usado por críticos para alertar que a necessidade de corte de emissões de CO2 (gás carbônico) não passaria de uma farsa planetária.

Em 2007, o IPCC disse ter pelo menos 90% de certeza de que os homens são responsáveis pelo aquecimento global. Os mais céticos dizem que os emails vazados mostram que os cientistas manipularam evidências. Pachauri disse que as descobertas foram isoladas de falsificações graças a um rígido processo de revisão.

A principal autoridade em clima da ONU, Yvo de Boer, também saiu em defesa dos estudos do IPCC. Ele disse neste domingo (6) que os e-mails de cientistas sobre o clima que foram tornados públicos por hackers podem ter abalado a imagem das pesquisas sobre o aquecimento global, mas a evidência do aquecimento da Terra é sólida.

''Eu acho que muita gente é cética sobre a questão e quando eles passam a acreditar que os cientistas estão manipulando informações em certa direção, a preocupação destas pessoas aumenta''.

Defesa da teoria

Mas ele defendeu o rigoroso processo de revisão feito por cerca de 2.500 cientistas nas pesquisas de mudanças climáticas, afirmando que a pesquisa é ''sólida e a mais confiável até hoje realizada.''

Os negociadores do clima e líderes mundiais de 192 países se reunirão em Copenhague pelas próximas duas semanas, procurando concordar na elaboração de um pacote de medidas para combater o aquecimento global e ajudar suas vítimas. Uma questão principal é a redução das emissões de gases de efeito estufa que os cientistas culpam pelo aumento das temperaturas registrado nas décadas recentes.

O negociador climático dos Estados Unidos, Jonathan Pershing, afirma que a ciência do aquecimento global é ''muito robusta, muito substancial''. Ele disse que a controvérsia em torno dos e-mails aconteceu em uma hora infeliz, bem antes da tão esperada conferência da ONU.

Entenda a conferência

Negociadores na Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP-15) em Copenhagen tentam fixar metas para controlar as emissões de dióxido de carbono e outros gases causadores do efeito estufa, incluindo os dois principais emissores, China e EUA. Eles também tentarão encontrar um acordo em como os países ricos poderão pagar para ajudar as nações pobres a lidar com as mudanças climáticas.

Boer disse não acreditar que a conferência irá fracassar, já que as principais nações fizeram propostas para as emissões e assistência financeira, apesar de elas ainda serem menores do que os especialistas dizem ser necessário.

veja também