MENU

Palestino faz reféns em embaixada turca em Israel

Palestino faz reféns em embaixada turca em Israel

Atualizado: Terça-feira, 17 Agosto de 2010 as 3:58

Um homem mantém como reféns pessoas na Embaixada da Turquia em Tel Aviv, em Israel, depois de tiros terem sido disparados do lado de fora da missão diplomática, disseram a polícia e o Ministério de Relações Exteriores de Israel. De acordo com o jornal israelense Haaretz, uma investigação inicial sobre o tiroteio indica que o homem foi atingido levemente na perna.

O jornal israelense Maariv disse que o homem telefonou para a publicação e se identificou como Nadim Injaz, de 32 anos, palestino que buscou asilo na Embaixada da Grã-Bretanha em Tel Aviv em 2006 e, na época, ameaçou se matar com um tiro na cabeça. Injaz ficou preso por um ano e foi solto há duas semanas, segundo o Canal 10.

Nesta terça-feira, Injaz fez dois reféns na embaixada e disse que tinha um líquido inflamável, ameaçando "matar qualquer judeu que entrar no local." "Essa é uma situação com reféns", disse o porta-voz da Chancelaria, Yigal Palmor à Associated Press.

Já um advogado disse à Rádio de Israel que os reféns, o cônsul e sua mulher, escaparam. A informação não pôde ser confirmada por fontes independentes.O advogado Shafik Abuani disse à rádio que conversou com três vezes por telefone com o palestino, tentando acalmá-lo.

O advogado disse que Injaz ameaçou queimar a embaixada se não receber asilo. Não está clara qual a relação do advogado com o palestino. Abuani disse que Injaz exigiu ser enviado à Turquia e disse que estava sendo perseguido pela força de segurança israelense Shin-Bet.

Segundo o advogado, apenas o cônsul e sua esposa estavam no prédio no momento do incidente. "Estou em contato com o cônsul a todo o momento, e nada aconteceu com eles", disse.

A polícia e equipes médicas foram enviadas ao local, e helicópteros podiam ser vistos circulando sobre a área. Há informações de que funcionários da embaixada não permitem a entrada de ninguém no prédio.

A Turquia retirou seu embaixador de Tel Aviv após o ataque de Israel contra a frota humanitária que pretendia levar suprimentos humanitários para a Faixa de Gaza em 31 de maio, quando nove ativistas turcos pró-palestinos foram mortos.

Na época do ataque de Infaz contra a embaixada britânica, uma equipe de negociadores descobriu que ele tinha uma ficha criminal e havia trabalhado como informante para a polícia israelense. Depois que uma equipe da Swat conseguiu subjugá-lo, descobriu que ele estava armado com uma pistola de brinquedo.

Postado por: Thatiane de Souza

veja também