MENU

Parlamentares brasileiros vão à Embaixada de Honduras pedir a volta de Zelaya

Parlamentares brasileiros vão à Embaixada de Honduras pedir a volta de Zelaya

Atualizado: Quarta-feira, 23 Setembro de 2009 as 12

Nove deputados federais e um senador entregaram hoje (23) um documento na Embaixada de Honduras, em Brasília, no qual pedem o retorno imediato do presidente deposto, Manuel Zelaya, e também dizem se solidarizar com o povo hondurenho pelo restabelecimento da ordem democrática no país.

No documento, os parlamentares afirmam que ''Honduras tem um presidente constitucional, eleito pelo povo, e o Brasil agiu certo ao acolhê-lo em sua embaixada''. Os parlamentares também pedem a renúncia imediata do governo interino e o fim de toda a repressão contra os hondurenhos.

''A ONU [Organização das Nações Unidas] a OEA [Organização dos Estados Americanos] e, sobretudo, os povos da nossa América Latina hão de reconstruir a soberania em Honduras, devolvendo ao governo o presidente eleito legitimamente pelo voto popular'', dizem os deputados e senadores.

Um grupo de deputados também quer ir a Honduras até sexta-feira (25) para pedir a volta da ordem democrática no país e a garantia à integridade do território brasileiro, no caso a Embaixada do Brasil, e, ainda, o respeito ao representante eleito pelo povo.

De acordo com o deputado Maurício Rands (PT-PE), caso os aeroportos de Honduras estejam fechados, eles desembarcarão em países vizinhos: Costa Rica ou Nicarágua. ''Se os aeroportos de Tegucigalpa [capital da Honduras] continuarem fechados, nós vamos à Costa Rica para falar com o presidente Oscar Arias, que já está há muito tempo fazendo o esforço de mediação e também à Nicarágua'', disse.

Rands condenou ainda o golpe dado pelos militares e o presidente interino, Roberto Micheletti, que presidia. ''[O golpe] é um precedente muito grave na América Latina que já sofreu no passado com ditaduras militares'', disse.

O deputado Ivan Valente (Psol-SP) disse que ''é preciso garantir a integridade e a soberania do Brasil e dizer que não se aceitam mais golpes militares e truculência''.

Hoje, a Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados aprovou um requerimento para que uma comissão externa fosse a Honduras avaliar a situação da representação brasileira em Honduras.

veja também