MENU

Partido Popular consegue vitória esmagadora na Espanha

Partido Popular consegue vitória esmagadora na Espanha

Atualizado: Segunda-feira, 21 Novembro de 2011 as 10:19

O Partido Popular, de centro direita, obteve maioria esmagadora na eleição parlamentar de domingo na Espanha , como resultado da punição dos eleitores ao governista Partido Socialista por causa da grave crise econômica do país.

Com quase 100% das cédulas apuradas, o PP tinha 44,5% dos votos, correspondendo à maioria absoluta na Câmara Baixa do Parlamento, com 186 das 350 cadeiras.

A eleição transcorreu num clima tenso resultante do crescente desemprego, cortes de gastos públicos e um nível de endividamento que pôs o país no centro da crise da zona do euro.

O governista Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), que está no poder há mais de sete anos, conquistou 29% dos votos, equivalentes a 111 cadeiras na Câmara Baixa. Na atual legislatura, o partido possui 169 cadeiras.

O resultado foi o pior para o partido em 34 anos de governos democráticos na Espanha.

O diário de maior tiragem na Espanha, 'El País', pediu nesta segunda-feira em sua capa a renúncia do primeiro-ministro José Luis Rodríguez Zapatero, do cargo de secretário-geral do PSOE.

O vencedor Mariano Rajoy acena para apoiadores após declarar a vitória neste domingo (Foto: Juan Medina/Reuters) "A Espanha é uma grande nação e o melhor que tem são os espanhóis, 46 milhões de espanhóis que vão combater a crise", afirmou Mariano Rajoy, antes de advertir: "Governarei a serviço da Espanha e de todos os espanhóis, procurando que em circunstância alguma alguém se sinta excluído da tarefa comum", disse.

"De minha parte não vão faltar nem a vontade, nem entusiasmo, nem o trabalho, nem o compromisso", mas "não haverá milagres. Não prometemos isso", acrescentou o futuro chefe de governo espanhol.

Concentrado na difícil situação na qual assumirá o comando do país, o líder conservador se referiu à União Europeia (UE) para dizer que a Espanha será "o mais leal, mas também o mais exigente dos sócios".

"Deixaremos de ser um problema para voltarmos a fazer parte da solução", insistiu Rajoy, que pôs entre suas prioridades a luta contra "o desemprego, o déficit, o endividamento excessivo, a paralisação econômica e tudo aquilo que mantém este país nestas circunstâncias críticas".          

veja também