MENU

Polícia norueguesa busca câmera com que atirador teria filmado ataque

Polícia norueguesa busca câmera com que atirador teria filmado ataque

Atualizado: Sexta-feira, 12 Agosto de 2011 as 1:21

Anders Behring Breivik, em foto reproduzida de seu

perfil no Facebook (Foto: AP)

  A polícia norueguesa indicou que está procurando uma câmera de vídeo que o extremista de direita Anders Behring Breivik, segundo a imprensa internacional, poderia ter usado para filmar o massacre de 22 de julho.

"A câmera de vídeo é algo mencionado em suas declarações e no manifesto que publicou na internet", declarou o procurador da polícia, Paal-Fredrik Hjort Kraby.

"Por ora, não encontramos a câmera nos locais em que procuramos", acrescentou.

Estas declarações foram motivadas por suposições da imprensa, citando testemunhos anônimos de sobreviventes, que alegam que Breivik poderia ter filmado o tiroteio na ilha de Utoya, perto de Oslo, em que morreram 69 pessoas, em sua maioria jovens.

Além da câmera, Breivik teria utilizado substâncias ilegais quando realizou seus ataques, segundo informou a polícia.

"Posso confirmar que ele usou entorpecentes ilegais. Não desejo comentar que tipo de produto, mas ele os consumiu", declarou Hjort Kraby, referindo-se ao resultado dos exames de sangue.

      No manifesto que difundiu na internet, logo depois de explodir um carro-bomba no centro de Oslo e abrir fogo contra uma reunião de jovens na ilha de Utoya, Behring Breivik explica a forma com que utilizou esteroides anabolizantes.

Em 26 de julho, seu advogado, Geir Lippestad, também se referiu à utilização de substâncias dopantes para que ele se sentisse "forte, eficaz, alerta" no momento dos ataques, que deixaram 77 mortos.

"Os esteroides, claro, mas também usou outros medicamentos sobre os quais não quero dar detalhes", assinalou Hjort Kraby na segunda-feira (8).

Por outra parte, o procurador da polícia afirmou que os psiquiatras designados para examinar o estado mental de Behring Breivik com a finalidade de determinar se é ou não responsável por seus atos iniciaram seus trabalhos.

Os dois especialistas devem entregar seu informe até o dia 1º de novembro.          

veja também