MENU

Pré-candidato em ascensão, Herman Cain é alvo em debate republicano

Pré-candidato em ascensão, Herman Cain é alvo em debate republicano

Atualizado: Quarta-feira, 19 Outubro de 2011 as 9:38

Herman Cain, pré-candidato em ascensão nas primárias do Partido Republicano dos EUA, foi alvo de muitas críticas dos adversários na noite desta terça-feira (18) em um debate entre os aspirantes à candidatura do partido em Las Vegas.

O empresário negro foi duramente criticado pelos seis adversários presentes no debate, em particular por sua proposta "9-9-9", que pretende elevar a 9% os impostos sobre os lucros das empresas e a renda dos particulares, além de criar um imposto de 9% sobre o consumo.

O governador do Texas, Rick Perry, em tom levemente condescendente chamou Cain "meu irmão", antes de afirmar: "Não acredito, Herman, que isto funcionará."

Os pré-candidatos republicanos Herman Cain, Mitt Romney e Rick Perry

durante o debate desta terça-feira (18) em Las Vegas (Foto: AP)

  "Se dermos ao Congresso um imposto de 9% sobre o consumo, em quanto tempo um presidente e um Congresso de esquerda elevarão isto a 90%? Quem sabe?", questionou.

O atual favorito entre os republicanos, Mitt Romney, também não poupou Cain.

"As pessoas observam mais impostos, segundo o seu plano. Se fosse menos elevado para classe média, tudo bem. Mas não é o que eu vejo".

Cain, ex-dono da rede de pizzarias Godfather, se defendeu ao afirmar que seu plano não aumentaria os impostos para as famílias americanas e convidou cada residência a fazer seus cálculos.

O debate, que aconteceu em um hotel cassino de Las Vegas, também registrou trocas de farpas entre Perry e Romney.

Segundo uma pesquisa CNN/ORC International divulgada na terça-feira, Mitt Romney é o favorito para ser o candidato republicado, mas Herman Cain é o mais querido pelos americanos.

O escolhido pelos republicanos vai enfrentar o presidente Barack Obama, democrata, que tenta a reeleição.

O debate de Las Vegas - em Nevada, estado com taxa de desemprego de 13,4%, a maior dos Estados Unidos - foi o quinto em seis semanas.          

veja também