MENU

Premiê de Israel pede que palestinos agilizem início de conversas diretas

Premiê de Israel pede que palestinos agilizem início de conversas diretas

Atualizado: Segunda-feira, 26 Julho de 2010 as 5:17

O premiê israelense Binyamin Netanyahu pediu nesta segunda-feira aos palestinos que iniciem o quanto antes as conversações diretas com Israel, em declarações feita na comissão de Relações Exteriores do Knesset, o Parlamento de Israel.

"Agora é preciso passar sem demora às negociações diretas", declarou, acrescentando que os EUA e Israel já concordaram sobre a necessidade de passar para este estágio das negociações.

Netanyahu, no entanto, acusou a ANP (Autoridade Nacional Palestina), presidida por Mahmoud Abbas, de "querer evitar as negociações diretas".

"Da nossa parte, estamos dispostos a iniciar negociações diretas na próxima semana", acrescentou, em declarações transmitidas pela rádio israelense.

Netanyahu afirmou ainda que os palestinos procurarão que a Liga Árabe, que tem previsto reunir-se na quinta-feira, no Cairo, apoio em sua negativa de negociar diretamente como Estado de Israel.

BRASIL

As declarações do premiê chegam um dia após a reunião com o chanceler brasileiro Celso Amorim, que está em viagem à região do Oriente Médio. O chanceler se reuniu na noite deste domingo com Netanyahu, em Jerusalém.

"Netanyahu e Amorim se reuniram durante quase uma hora no domingo ao anoitecer, na presidência do conselho de ministros", declarou Mark Regev, porta-voz de Netanyahu, sem dar maiores detalhes.

O diário israelense "Maariv", que qualifica a reunião de secreta, assegura que Netanyahu pediu a Amorim que transmita uma mensagem à liderança palestina para conseguir o reinício das negociações diretas de paz.

PALESTINOS

Ainda nesta segunda-feira Amorim esteve na sede da Autoridade Nacional Palestina (ANP) com o primeiro-ministro Salam Fayyad e com o chanceler Riad al Maliki.

Segundo o jornal, o chanceler brasileiro deve voltar a se reunir com representantes israelenses para transmiti-los a resposta da ANP.

Na quarta-feira, Amorim seguirá viagem pela região e irá a Damasco.

O Brasil tenta desempenhar o papel de mediador depois de concluir em maio um acordo com a Turquia sobre a questão do programa nuclear iraniano. As autoridades brasileiras são partidárias da intervenção de novos interlocutores no processo de paz e de um diálogo com todos os países da região.

DIÁLOGO

Israel provocou indignação nos Estados Unidos em março passado, quando, durante visita do vice-presidente Joe Biden, anunciou um plano para construir 1.600 casas para judeus em uma área da Cisjordânia ocupada que considera fazer parte de Jerusalém.

Israel assegurou a Washington que os trabalhos de construção no assentamento Ramat Shlomo não começariam antes de pelo menos dois anos. O anúncio atrasou o início das conversas indiretas de paz, mediadas pelo enviado americano para o Oriente Médio, George Mitchell, já que os palestinos -- e Washington -- exigem o congelamento das novas construções como condição para dialogar.

Mitchell retomou as conversas há dois meses, mas não conseguiu avanços concretos. Segundo a proposta, as conversas diretas devem ser iniciadas em setembro.

Em discurso no Comitê de Relações Exteriores e Defesa, Netanyahu disse que, por Israel, as conversas diretas podem começar já na próxima semana. Ele não afirma, contudo, se está disposto a aceitar as demandas do líder palestino, Mamhoud Abbas.

Abbas quer saber de antemão qual é o formato e o tamanho do Estado palestino que Israel aceitaria discutir e também se o Estado desocupará o vale do Jordão e confiará a segurança da área a terceiros. Abbas espera também garantias mais claras por parte dos Estados Unidos.

veja também