MENU

Premiê diz que Japão vai se esforçar para dar informações sobre usina

Premiê diz que Japão vai se esforçar para dar informações sobre usina

Atualizado: Sexta-feira, 18 Março de 2011 as 11:54

O primeiro-ministro do Japão , Naoto Kan, afirmou nesta sexta-feira (18) que o governo japonês fará todos os esforços para divulgar informações sobre o que acontece na usina nuclear de Fukushima, que sofreu explosões após o tremor seguido de tsunami que atingiu o Japão há uma semana.

Kan falou após uma reunião com o diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Yukiya Amano, em Tóquio. Amano afirmou que a agência e a comunidade internacional estão acompanhando os desdobramentos dos incêndios na usina.

O governo japonês chegou a ser criticado por outros países, que alegaram que as autoridades não estavam passando informações suficientes sobre a gravidade do acidente nuclear.

Naoto Kan informou que o governo japonês tem tirado fotos da usina regularmente e que, com isso, terá mais dados.

O premiê japonês afirmou ainda que todos os órgãos do governo estão se esforçando para lidar com a situação e disse que o governo não está escondendo informações, mas que o esforço de coleta de dados pode estar insuficiente.

Discurso na TV

Em um discurso na televisão também nesta sexta, Naoto Kan prometeu que o Estado retomará o controle da situação no país. "Nós estamos em uma situação de crise que coloca em teste nosso povo. O Japão se recuperou milagrosamente depois da guerra. Com o esforço de todos, vamos reconstruir o país mais uma vez", declarou.

O primeiro-ministro afirmou ainda que o país "vai superar esta tragédia e se reconstruirá como uma nação". "O governo devolverá a confiança à população", concluiu.     Balanço

Um novo balanço divulgado pela polícia nesta sexta-feira (18) estima em 6.539 o número de mortos e em 10.259 o de desaparecidos após os desastres naturais ocorridos no Japão na última semana.

Os números, porém, não são definitivos e podem aumentar. O número de feridos foi a 2.409. O balanço mostra que o número de mortos do teremoto já supera o tremor de Kobe (oeste do Japão) em 1995, que deixou 6.434 vítimas fatais.    

veja também