MENU

Premiê se reelege em votação interna do partido e mantém cargo no Japão

Premiê se reelege em votação interna do partido e mantém cargo no Japão

Atualizado: Terça-feira, 14 Setembro de 2010 as 2:18

O primeiro-ministro japonês, Naoto Kan, permanecerá no cargo depois da vitória surpreendentemente tranquila que obteve em uma votação interna do seu partido nesta terça-feira (14).

Agora, Kan terá de unificar o seu partido, o Partido Democrático do Japão (PDJ), e fazer acordos com a oposição no Parlamento para cumprir suas promessas de reduzir gastos e endividamento públicos.

Os mercados previam um aumento dos gastos públicos se Kan perdesse a votação para Ichiro Ozawa, que cogitava emitir mais dívida se a situação econômica se agravasse -- embora a dívida pública japonesa já seja equivalente a quase o dobro do PIB local, de US$ 5 trilhões. Kan, de 63 anos, tinha a preferência do eleitorado como um todo, mas o forte apoio de parlamentares a Ozawa tornava imprevisível o resultado da votação interna.

O PDJ enfrenta problemas desde que chegou ao poder, um ano atrás. Sua coalizão com um pequeno partido perdeu a maioria no Senado numa eleição em julho, um mês após Kan assumir o comando do governo e cogitar um aumento de 5% no imposto sobre vendas. Ele também frustrou muitos eleitores por não apresentar uma mensagem convincente para retomar o crescimento econômico.

Kan obteve um pouco mais de metade dos votos de parlamentares do PDJ, mas trucidou Ozawa entre os filiados da base partidária. Pelo sistema de votos ponderados, ele conseguiu 721 de 1.212 pontos totais.

"Kan venceu por uma margem bastante grande. Mas ele ainda precisa apresentar formas de aprovar leis no Parlamento, como uma aliança com um partido de oposição", disse Koichi Haji, economista-chefe do NLI Research Institute. "A perspectiva não parece boa para Kan."

O iene, já supervalorizado (o que dificulta exportações), chegou a alcançar 83,09 por dólar, sua maior cotação em 15 anos, mas depois recuou para 83,30. O governo até agora evitou intervir no câmbio.

Os títulos públicos com vencimento em dez anos também tiveram alta, e o índice futuro Nikkei da Bolsa de Tóquio caiu, refletindo o fato de que a vitória de Kan afasta a hipótese de uma onda de gastos públicos.

Ozawa, de 68 anos, prometia cumprir as promessas eleitorais de dar mais dinheiro para os consumidores, de afastar os burocratas do controle dos gastos públicos e de redirecionar o orçamento. Habituado a agir nos bastidores políticos, ela era apontado por seus seguidores como alguém capaz de superar o impasse político e econômico do país.

Postado por: Thatiane de Souza

veja também