MENU

Prêmio Nobel da Paz é destituído da direção de banco

Prêmio Nobel da Paz é destituído da direção de banco

Atualizado: Quarta-feira, 2 Março de 2011 as 3:08

O prêmio Nobel da Paz de 2006, o bengalês Muhammad Yunus, foi destituído do cargo de diretor-executivo do Grameen Bank, a entidade concessionária de microcréditos que criou e por conta da qual recebeu o apelido de "banqueiro dos pobres".

De acordo com correspondentes, a demissão de Yunus é consequência de uma longa desavença com o governo de Bangladesh. Ele se desentendeu com o primeiro-ministro bengalês, Sheikh Hasina, em 2007, quando tentou estabelecer um novo partido no país.

O governo bengalês é dono de 25% das ações do Grameen, o banco pioneiro no conceito de microcrédito, fazendo pequenos empréstimos a pessoas pobres, que geralmente não tinham seus pedidos aceitos por bancos tradicionais. Este esquema se multiplicou no mundo todo.

O Banco de Bangladesh informou que Yunus desrespeitou as leis de aposentadoria do país ao permanecer na direção do Grameen muito além da idade obrigatória de aposentadoria, que é de 60 anos. Yunus tem 70 anos.

Muzammel Huq também informou que Yunus não conseguiu a aprovação necessária do Banco de Bangladesh quando foi indicado para o cargo de diretor-gerente do Grameen em 1999.

Quem é Yunus?

Muhammad Yunus é o fundador do Grameen Bank, cujo sistema de microcréditos o fez ganhar o Nobel da Paz em 2006.

O economista bengalês também foi agraciado com o Prêmio Príncipe de Astúrias da Concórdia, em 1998.

No entanto, nos últimos meses, se viu submetido a uma campanha de desprestígio orquestrada por seu próprio governo, liderado por Sheikh Hasina, após um documentário transmitido em novembro de 2010 na Noruega ter denunciado um desvio de fundos entre duas entidades do Grupo Grameen, em 1996.

  Yunus se defendeu das críticas afirmando que a transferência havia sido explicada aos doadores noruegueses, mas Hasina o acusou em dezembro de pretender evadir impostos e anunciou uma investigação contra ele.    

veja também