MENU

Presidente do Irã ataca Israel e EUA em discurso na Assembleia Geral da ONU

Presidente do Irã ataca Israel e EUA em discurso na Assembleia Geral da ONU

Atualizado: Segunda-feira, 24 Agosto de 2009 as 12

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, acusou Israel de ''políticas desumanas'' nos territórios palestinos e de dominar as questões políticas e econômicas do mundo em discurso diante da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) nesta quarta-feira (23). Ele também criticou os EUA.

Várias delegações, como as da França e dos EUA, deixaram o recinto antes que o iraniano começasse a falar. Mark Kornblau, porta-voz americano na ONU, denunciou a retórica de Ahmadinejad como ''raivosa, insultante e antissemita''.

Ahmadinejad não mencionou o impasse de seu país com as potências ocidentais em relação à questão nuclear.

O presidente do Irã acusou forças estrangeiras de espalhar ''guerra, derramamento de sangue, agressão, terror e intimidação'' no Oriente Médio, citando as guerras no Iraque e no Afeganistão.

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, discursa nesta quarta-feira (23) na Assembleia Geral da ONU. (Foto: AP)

Leia mais notícias sobre a Assembleia Geral da ONU

História da ONU

Sobre Israel, alvo frequente da fúria de Ahmadinejad, o líder iraniano disse que ''o despertar de nações e a expansão da liberdade no mundo não mais permitirão que eles continuem com suas atitudes hipócritas e odiosas''. Ele não citou o nome do país, referindo-se a ele apenas como ''o regime sionista''.

''Como alguém pode imaginar que as políticas desumanas na Palestina possam continuar?'', questionou.

''Como podem crimes dos ocupantes contra mulheres e crianças indefesas e a destruição de suas casas, plantações, hospitais e escolas serem apoiados incondicionalmente por certos governos?''

O líder iraniano disse que chegou a hora do mundo responder.

Ahmadinejad, que nesta quarta-feira foi alvo de uma manifestação do lado de fora da missão iraniana na ONU, pareceu desdenhar as acusações da oposição de que sua reeleição em junho foi uma fraude.

''Nossa nação passou por uma eleição gloriosa e totalmente democrática, abrindo um novo capítulo para nosso país na marcha em direção ao progresso nacional e a interações internacionais aprimoradas'', disse ele, acrescentando que os eleitores iranianos ''confiaram em mim mais uma vez com uma ampla maioria''.

Apesar da virulência, Ahmadinejad disse que seu país está disposto a participar da construção de uma ''paz e segurança duradoura'' no mundo e a ''aproximar as mãos honestas''.

veja também