MENU

Preso por 120 dias faz 'túnel' só de bicicletas

Preso por 120 dias faz 'túnel' só de bicicletas

Atualizado: Quinta-feira, 24 Novembro de 2011 as 1:59

    Nem mesmo os quatro meses que passou na prisão foram capazes de apagar o brilho do artista plástico chinês Ai Weiwei. É o que prova esta exposição atualmente em cartaz em Taiwan, cuja obra principal é inspirada justamente em um dos principais símbolos da China: a bicicleta.

Chamada Absence, a mostra reúne 21 obras do artista. No centro das atenções, está a instalação Forever Bicicles, uma estrutura de dez metros de altura construída com 1.200 bicicletas. Criada especialmente para o museu taiwanês, a obra provoca uma estranha  ilusão de movimento, ao mesmo tempo que lembra uma caverna.

Empilhadas, as bicicletas perdem sua forma e sua função originais. A liberdade associada ao ciclismo se esvai com a montanha de bicicletas inúteis e imóveis. Uma crítica não tão sutil à China contemporânea.    

Na mesma mostra está uma outra obra, que visitou o Brasil no ano passado, durante a Bienal de São Paulo. Circle of Animals / Zodiac Heads consiste numa seqüência de cabeças de animais feitas em bronze e dispostas em círculo, trazendo uma série de referências e símbolos das tradições e das disputas pelo poder na China.

Sob a alegação de crimes financeiros, Weiwei foi preso no início de abril, causando comoção no mundo das artes plásticas. Do Brasil à Alemanha, não faltaram demonstrações de apoio ao artista, cujo trabalho faz uma crítica velada ao governo e à estrutura social chinesa.

Além de garantir sua libertação, no final de junho, as manifestações ajudaram a aumentar a fama internacional de Weiwei e de seu trabalho. Prova disso é esta exposição individual no Taipei Fine Arts Museum, aberta à visitação até o dia 29 de janeiro.            

veja também