MENU

Pressão dos EUA ao Irã sobre questão nuclear pode acabar em guerra, diz Lula

Pressão dos EUA ao Irã sobre questão nuclear pode acabar em guerra, diz Lula

Atualizado: Quarta-feira, 10 Março de 2010 as 12

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que as sanções propostas pelos Estados Unidos contra o Irã devido ao seu programa nuclear podem resultar em uma guerra. Em entrevista à Associated Press nesta terça-feira, dia 9, Lula afirmou que vai se esforçar pessoalmente para evitar um conflito. Sua intenção, disse, reflete o crescimento da influência do Brasil no cenário internacional.

Segundo o presidente, sanções provavelmente levariam o Irã a se retirar da mesa de negociações. Isso, de acordo com ele, poderia culminar em guerra. "Nós não queremos que se repita no Irã o que houve no Iraque. Isso não é prudente para o Irã, não é prudente para o mundo", declarou, uma semana depois de rejeitar o apelo da secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, para que o Brasil apoiasse novas sanções contra o país.

Na entrevista à AP, Lula é descrito como um dos mais populares líderes no Brasil e no exterior, tendo conseguido manter relações amistosas com o ex-presidente George Bush e o atual, Barack Obama, ao mesmo tempo em que mantinha boas relações com Fidel Castro, de Cuba, e Hugo Chávez, da Venezuela, dois dos maiores críticos dos Estados Unidos.

O Irã acelerou sue programa nuclear apesar das sanções impostas pelos Estados Unidos. Agora, os Estados Unidos e países aliados dos norte-americanos defendem a ideia de que uma nova demonstração de oposição da comunidade internacional finalmente levaria o país a negociar.

Lula disse que vai tentar convencer o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, de restabelecer negociações para diminuir a tensão sobre o programa nuclear do país. Ahmadinejad se encontrou com Lula no ano passado no Brasil, numa visita que incomodou os Estados Unidos. "Eu já disse a eles que uma guerra deve ser evitada a todo custo", disse. "A quem interessa uma guerra?"

veja também