MENU

Primeiro-ministro assume culpa por massacre no Egito

Primeiro-ministro assume culpa por massacre no Egito

Atualizado: Quinta-feira, 2 Fevereiro de 2012 as 2:01

Mesmo sem uma posição oficial sobre se de fato o massacre teve razões políticas, o primeiro-ministro do Egito, Kamal Ganzuri, assumiu responsabilidade pela tragédia entre torcedores de Al Ahly e Al Masry.

"Estou disposto a cumprir com qualquer instrução que me pedirem, porque sou responsável politicamente por isso", frisou Ganzuri.

A União Europeia pediu uma investigação sobre o conflito ocorrido no campo de futebol em Porto Said, no Egito, na quarta-feira, que resultou na morte de 74 pessoas, além de pelo menos 188 feridos.

"Espero que uma investigação independente seja cumprida", avisou a chefe diplomática da União Europeia, Catherine Ashton.

O partido egípcio Irmandade Muçulmana acusou o governo de ser responsável pela tragédia que resultou em 74 mortes após uma partida de futebol na cidade de Port Said. De acordo com a legenda, que tem a maioria no parlamento, o atual comando quis punir a população que se revoltou contra o ex-presidente Hosni Mubarak, deposto há um ano.

Torcedores do Al Ahly pretendem fazer passeata pedindo a saída de dirigentes da Federação do Egito e também a destituição do Ministro do Interior do país, Mohamed Ibrahim, acusado de não agir mediante batalha campal.

 

OUTRAS TRAGÉDIAS NO FUTEBOL

1964
Peru e Argentina se enfrentaram em Lima (PER) no Torneio Pré-Olímpico. Os visitantes ganhavam por 1 a 0, e o juiz anulou um gol legítimo do time local, revoltando os 54 mil torcedores, que passaram a atirar pedras e garrafas no campo, além de invadir o gramado. 318 morreram e mais de 1000 ficaram feridos na maior tragédia em estádios da história.

1968
No clássico argentino entre River Plate e Boca Juniors, a torcida causou um incêndio ao botar fogo em uma pilha de papel. O fogo afastou os torcedores, que correram e se tumultuaram a saída. 74 morreram e cerca de 150 se feriram.

1971
66 pessoas morreram esmagadas em Glasgow, Escócia, no maior clássico do país, Celtics e Rangers.

1974
No Cairo, capital do Egito, 49 pessoas morreram pisoteadas em um jogo com 80 mil espectadores presentes em estádio com capacidade para 40 mil.

1982
Mais de 300 pessoas morreram em um corre-corre em uma escadaria com chão escorregadio pelo gelo em uma partida entre Spartak e Haarlem em Moscou, na Rússia.

1985
Em Bradford, Inglaterra, 56 pessoas morreram após incêndio nas arquibancadas durante a partida entre Bradford City e Lincoln City.

1989
No jogo entre Nottingham e Liverpool, pela Copa da Inglaterra, o estádio estava lotado e muita gente ficou para fora. As cerca de 5 mil pessoas forçaram a entrada, derrubaram o portão e invadiram o estádio, que ficou superlotado. Na confusão, aproximadamente 100 mortos e 200 feridos.

1991
Pelo menos 40 pessoas morrerm em um corre-corre após distúrbios em uma partida amistosa em Orkney, na África do Sul.

1996
Guatemala e Costa Rica duelariam pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo. A capacidade do estádio era de 45 mil pessoas, mas foram vendidos 60 mil ingressos. Na confusão, muita gente ficou prensada contra o alambrado, morreram 84 pessoas e 150 ficaram feridos. O jogo acabou suspenso.

2001
Em Gana, torcedores do Hearts of Oak e Kumasi Kotoko, dois times de maior rivalidade do país, se enfrentaram na arquibancada. Mais de 120 pessoas morreram e outras 90 ficaram feridas após os conflitos.

2001
Mais de 40 pessoas morrem esmagadas no estádio Ellis Park, em Johannesburgo, na África do Sul.

2007
Ao menos 50 pessoas morreram em um atentado contra torcedores do Iraque, que festejavam uma vitória da seleção local na Copa da Ásia.

veja também