MENU

Produtor acusado de matar brasileira é extraditado dos EUA para o México

Produtor acusado de matar brasileira é extraditado dos EUA

Atualizado: Quinta-feira, 9 Fevereiro de 2012 as 10:51

Um ex-produtor americano do reality show "Survivor", que fugiu do país após ser considerado suspeito pelas autoridades mexicanas do assassinato de sua mulher brasileira em abril de 2010, foi extraditado nesta quarta-feira (8) dos Estados Unidos para o México, informaram porta-vozes das duas partes.

Bruce Beresford-Redman foi enviado de volta ao México após decidir não apelar da decisão de um juiz federal em Los Angeles - que decidiu em dezembro a favor de sua extradição -, informou Stephen Jaffe, porta-voz da família do suspeito.

Beresford-Redman foi acusado pelas autoridades do estado mexicano de Quintana Roo, no sudeste do país, de ter assassinado, em um luxuoso hotel do balneário de Cancún, sua mulher Mônica Burgos, uma restauradora brasileira com a qual estava casado havia 11 anos.

"Passaram quase dois anos desde que nossa querida Mônica foi violentamente assassinada por seu marido, Bruce", disse Alison Triessl, advogada das irmãs da vítima. "Este dia é um marco importante em nossa busca por justiça".

Se for considerado culpado no México, o ex-produtor indicado ao Emmy e um dos criadores do reality show "Pimp my ride" pode ter de enfrentar de 12 a 30 anos de prisão, disseram autoridades.

O corpo da vítima foi encontrado em 8 de abril de 2010, três dias depois de seu marido denunciar seu desaparecimento. O corpo, nu e com sinais de violência, estava na caixa d'água do hotel, onde o casal passava as férias com os filhos.

Na ordem de extradição, a promotoria afirmava que o produtor supostamente matou sua mulher para obter seu seguro de vida, a custódia das crianças e continuar uma relação extraconjugal que mantinha com uma colega de trabalho.

Beresford-Redman saiu do México rumo aos EUA duas semanas depois da descoberta do corpo de sua mulher, apesar de as autoridades mexicanas terem confiscado seu passaporte.

veja também