MENU

Protestos crescem na França durante votação de reforma

Protestos crescem na França durante votação de reforma

Atualizado: Quinta-feira, 21 Outubro de 2010 as 3

Novos protestos e confrontos ocorreram hoje na França, no dia em que o Senado está reunido para avaliação do projeto de reforma previdenciária proposto pelo governo. Na cidade de Marselha, manifestantes bloquearam o aeroporto, e em Lyon, jovens enfrentaram a polícia. Cerca de 25% dos postos de combustível sofrem com desabastecimento, apesar das ordens do presidente Nicolas Sarkozy para desbloqueio dos depósitos fechados pelos grevistas. Até a cantora Lady Gaga cancelou shows em Paris devido aos tumultos nos aeroportos.

Os novos episódios de violência registrados em Lyon ocorreram quando a polícia expulsava jovens que haviam virado um carro e atiravam garrafas pelas ruas. Os policiais tentaram conter a violência com gás lacrimogêneo enquanto um helicóptero policial sobrevoava a área. "Os encrenqueiros não terão a última palavras numa democracia", disse Sarkozy, prometendo encontrar e punir os desordeiros. Ele acusou os grevistas de "fazerem reféns a economia, os negócios e a vida cotidiana".

Os funcionários da Airbus e Hewlett Packard fizeram uma passeata pelas ruas da cidade de Toulouse, no sul do país, onde a universidade está fechada por causa dos protestos dos estudantes. Outras dez universidades também ficaram fechadas nesta quinta-feira. Em Estrasburgo, no leste, os manifestantes bloquearam uma eclusa no rio Reno.

As greves também atingem a indústria do entretenimento. O site da cantora Lady Gaga informa que ela adiou dois shows em Paris marcados para sexta-feira e sábado "pois há incertezas sobre se os caminhões conseguirão chegar" para montar o espetáculo.

A embaixada dos Estados Unidos em Paris advertiu seus cidadãos a "evitarem as manifestações que ocorrem no momento na França". O aviso diz que manifestações pacíficas podem se tornar violentas e pede que os visitantes contatem as companhias aéreas e verifiquem se há problemas nos aeroportos e também consultem as empresas de locação de carros sobre a disponibilidade de gasolina.

Votação da reforma

A falta de gasolina na França e a violência ligada às manifestações estudantis elevaram o impasse entre o governo e os sindicatos, que não sinalizam um acordo sobre a reforma previdenciária. O governo quer ampliar a idade mínima para aposentadoria de 60 para 62 anos. Essa proposta já foi aprovada pela Câmara e chegou hoje à agenda do Senado.

A Casa deveria votar a reforma nesta quinta-feira, mas o debate pode demorar mais um dia ou dois. A oposição socialista propôs mais de mil emendas ao projeto aprovado no mês passado, e os senadores devem debater e votar cada uma delas. O governo francês, como muitos governos altamente endividados da Europa, alega que elevar a idade mínima para a aposentadoria e melhorar o sistema previdenciário é vital para assegurar que as futuras gerações recebam o benefício.

veja também