MENU

Rebeldes líbios pedem ajuda aos aliados para era pós-Kadhafi

Rebeldes líbios pedem ajuda aos aliados para era pós-Kadhafi

Atualizado: Quinta-feira, 9 Junho de 2011 as 2:16

Os rebeldes líbios pediram ao grupo de contato sobre a Líbia, integrado pelos países aliados na ofensiva contra o regime líbio, a colocar em andamento nesta quinta-feira (9), em Abu Dhabi, um mecanismo concreto e rápido de ajuda financeira, que consideram vital para derrubar Muamar Kadhafi.

O grupo de contato se reuniu depois de um encontro em Bruxelas entre os países da Otan, que afirmaram sua determinação de ir até o final na Líbia, e destinado a preparar a era pós-Kadhafi, num momento em que os rebeldes ganham legitimidade internacional.

O chanceler italiano Franco Frattini entre os colegas do Kuwait, Mohammed al-Sabah (dir.), e da Austrália, Kevin Rudd (esq.), durante a foto oficial da reunião nos Emirados Árabes (Foto: Marwan Naamani / AFP)

  "Estamos em busca de um apoio político, mas principalmente econômico, e reclamamos a possibilidade de aproveitar nossos fundos bloqueados ", declarou nesta quinta-feira Abdel Hafidh Ghoga, vice-presidente do Conselho Nacional de Transição (CNT), órgão político da rebelião.

"Se a reunião não estabelecer um mecanismo financeiro de ajuda ao CNT, esta reunião será um fracasso total", advertiu, por su parte, o "ministro" do Petróleo e das Finanças da rebelião líbia, Ali Tarhuni.

Tarhouni anunciou que em breve a rebelião começará a produzir 100.000 barris diários de petróleo.

Um delegado de um país do Golfo indicou, por sua parte, que os participantes já haviam decidido durante uma reunião prévia, na manhã desta quinta-feira, a criação de um fundo que canaliza a ajuda aos rebeldes.

'Perto do fim'

O chanceler italiano Franco Frattini afirmou que o regime de Kadhafi se aproxima do fim, durante a abertura da reunião em Abu Dhabi.

"Os líbios mostraram ao mundo que estão decididos a seguir lutando pela democracia e a liberdade", declarou Frattini, antes de afirmar que as deserções de pessoas ligadas a Kadhafi aumentam em "consequência direta" das pressões internacionais.

"O poder de Kadhafi se apcoxima do fim", afirmou.

A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, também assegurou nesta quinta-feira que os dias o regime líbio de Kadhafi estavam contados.

"Os dias de Kadhafi estao contados. Trabalhamos com nossos associados internacionais dentro da ONU para preparar o inevitável: a Líbia da era posterior a Kadhafi", afirmou Clinton em uma declaração cujo texto foi distribuído para a imprensa.          

veja também