MENU

Reino Unido pede desculpa ao Vaticano após vazamento de documento interno

Reino Unido pede desculpa ao Vaticano após vazamento de documento interno

Atualizado: Segunda-feira, 26 Abril de 2010 as 12

O governo britânico pediu ontem desculpa ao Vaticano após o vazamento de um documento interno que afirmava que o papa Bento XVI deveria abrir uma clínica de aborto, lançar sua própria linha de preservativos e cantar com a rainha Elizabeth II e a cantora Susan Boyle durante a visita de quatro dias que fará à Inglaterra e à Escócia, de 16 e 19 de setembro.

Alguns trechos do documento foram publicados pelo jornal Sunday Telegraph. O texto apresentava diversas propostas para a visita do papa que ridicularizavam a posição da Igreja. O documento também sugeria que o papa abençoasse o casamento gay e reconhecesse o escândalo de abusos sexuais por padres, criando uma linha telefônica direta para crianças que sofreram abuso ou premiando delatores.

O pedido oficial de desculpa foi emitido pelo Escritório de Relações Exteriores do Reino Unido. Intitulado "A visita ideal seria...", o memorando polêmico foi redigido por funcionários juniores do órgão após uma sessão que pretendia discutir ideias para a visita do papa. O texto teria sido distribuído por um funcionário jovem, de cerca de 20 anos.

O governo britânico classificou o memorando como "estúpido" e afirmou que o responsável pela elaboração do texto foi transferido para outras funções do ministério.

"O Escritório de Relações Exteriores lamenta muito esse incidente e está profundamente sentido com a ofensa que ele causou", diz o texto do pedido de desculpa. "Nós valorizamos fortemente a próxima e produtiva relação entre o governo do Reino Unido e o papa e estamos ansiosos para aprofundar isso ainda mais com a visita de Bento XVI ao Reino Unido."

Em outro trecho da nota, o Escritório de Relações Exteriores afirma: "Está claro que se trata de um documento tolo, que de nenhuma forma reflete a política ou os pontos de vista do governo do Reino Unido ou do ministério. Está claro que muitas das ideias contidas nesse documento são imprudentes, ingênuas e desrespeitosas."

O ministro das Relações Exteriores, David Miliband, se declarou "horrorizado" com o texto e o embaixador britânico para o Vaticano, Francis Campbell, se reuniu com representantes da Santa Sé para expressar o sentimento do governo britânico.

O porta-voz do Vaticano, reverendo Federico Lombardi, afirmou que um pedido de desculpa do Reino Unido foi recebido. "Eles forneceram todas as explicações e não há mais nada a acrescentar", afirmou.

Importância. A visita do papa Bento XVI será a primeira de um chefe da Igreja Católica ao Reino Unido desde o papa João Paulo II, em 1982.

Durante a estadia, o pontífice fará um discurso em Londres, participará de serviços ecumênicos na Abadia de Westminster e conduzirá um evento público no Parque Bellahouston, em Glasgow. O papa também deseja beatificar o cardeal John Newman.

veja também