MENU

Repórter italiano morto no Paquistão foi torturado, dizem médicos

Repórter italiano morto no Paquistão foi torturado, dizem médicos

Atualizado: Quarta-feira, 1 Junho de 2011 as 3:41

Médicos que fizeram a autópsia no jornalista Syed Saleem Shahzad, encontrado morto na terça-feira (31) nos arredores de Islamabad, concluíram que o correspondente no Paquistão da agência de notícias italiana AdnKonos International foi torturado.

"A causa da morte é tortura. O corpo e o rosto da vítima apresentam vários ferimentos", afirmou o doutor Ashok Kumar, um dos médicos que participaram da autópsia.

O corpo do jornalista foi encontrado pela polícia a poucos metros de seu automóvel, na região de Sara e Alamgir, a cerca de 150 km da capital Islamabad.       Syed Saleem Shahzad em foto de 2008 (Foto: AP)     A agência italiana havia divulgado o desaparecimento do profissional na segunda-feira e temia por um sequestro, uma vez que ele não aparecera para uma entrevista para a televisão paquistanesa previamente marcada.

Shahzad, que trabalhava para a AdnKonos desde 2004, havia escrito recentemente um artigo para a "Asia Times Online" no qual denunciava os laços entre os membros mais "exaltados" das forças armadas paquistanesas e a rede terrorista da al-Qaeda.

Ele ainda havia dito a organizações de defesa dos direitos humanos que fora ameaçado pelos serviços de inteligência militar.

Em novembro de 2006, Shahzad foi sequestrado pelos talibãs em Helmand, no Afeganistão, enquanto realizava uma reportagem. O jornalista foi submetido a um julgamento por espionagem e libertado sete dias depois.

A AdnKronos International, fundada em 2003, é especializada em mundo islâmico e emprega cerca de 50 pessoas na Itália e em todo o mundo.

A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, "condenou veementemente" na terça-feira o "sequestro e assassinato de Shazad".        

veja também