MENU

Sem Strauss-Kahn, esquerda segue líder para presidente na França

Sem Strauss-Kahn, esquerda segue líder para presidente na França

Atualizado: Quarta-feira, 18 Maio de 2011 as 11:28

A primeira pesquisa de opinião realizada na França desde que Dominique Strauss-Kahn, diretor-geral do Fundo Monetário Internacional, foi preso acusado de agressão sexual, dificultando suas chances na corrida presidencial de 2012, mostrou nesta quarta-feira (18) que a oposição de esquerda ainda está na frente.     O levantamento, conduzido pela CSA na segunda-feira (16) e divulgado nesta quarta, revelou que 54% dos entrevistados acreditam que o Partido Socialista pode vencer a eleição em abril e maio próximos mesmo sem seu candidato celebridade, acusado de tentativa de estupro a uma camareira de hotel em Nova York.

Do total de 1.007 pessoas entrevistadas, 57% acreditam que o caso de agressão sexual foi uma armação dos inimigos de Strauss-Kahn para incriminá-lo.

Foi a primeira pesquisa de opinião para o pleito de 2012 que não incluiu Strauss-Kahn na lista de potenciais candidatos.

Entre os eleitores socialistas, 70% dizem crer que o partido ainda pode vencer as eleições.

O presidente conservador Nicolas Sarkozy, cuja taxa de aprovação é baixa, está sofrendo deserções para o direitista Fronte Nacional e enfrentará uma luta acirrada para se reeleger no ano que ano. O afastamento de Strauss-Kahn da disputa, dado como quase certo, pode favorecer Sarkozy.

A pesquisa também apurou que François Hollande, ex-líder do Partido Socialista, seria o novo candidato favorito da esquerda, 10 pontos à frente da atual líder Martine Aubry.

E previu que qualquer dos candidatos obteria 23% no primeiro turno da eleição, com Sarkozy um ponto atrás de Hollande ou empatado com Aubry, e a líder de extrema direita Marine Le Pen em terceiro com 20%.

Comparado com o levantamento da CSA de 28 de abril, o mais recente indica um ganho de um ou dois pontos para Sarkozy por conta do escândalo de Strauss-Kahn.      

veja também