MENU

Série de atentados mata 86 e fere 159 em Bagdá

Série de atentados mata 86 e fere 159 em Bagdá

Atualizado: Terça-feira, 8 Dezembro de 2009 as 12

A explosão quase simultânea de cinco carros-bomba em diferentes pontos de Bagdá, capital do Iraque, causou a morte de pelo menos 86 pessoas e feriu outras 159 nesta terça-feira (8).

A primeira explosão teve como alvo o Ministério do Interior iraquiano, no bairro de Bab al-Sharqi, no centro da capital.

O segundo carro-bomba atingiu o parque de Zawraa, no oeste da cidade.

O terceiro ataque foi dirigido à Universidade de Mustansiriya, no leste da capital.

O quarto atentado aconteceu junto ao Ministério do Trabalho e Assuntos Sociais, na rua Palestina, situada também no leste de Bagdá.

A quinta explosão atingiu uma patrulha da polícia em sua passagem pelo bairro de Al-Doura, no sul da cidade.

O atentado contra a patrulha foi cometido por um suicida ao comando de um veículo carregado de explosivos. Segundo fontes policiais, as forças de segurança fecharam várias ruas da capital para evitar novos ataques.

Os atentados ocorrem dois dias depois que o Parlamento aprovou uma emenda da lei eleitoral que prepara o caminho para a realização de eleições gerais.

Para esta terça-feira está prevista uma reunião do Conselho Presidencial, formado pelo presidente iraquiano e pelos dois vice-presidentes, com representantes da comissão eleitoral e da missão da ONU no Iraque para determinar a data mais adequada para as eleições parlamentares de 2010.

Este atentado múltiplo é o terceiro mais sangrento nos últimos meses. Em 25 de outubro, em um duplo atentado cometido no centro da capital iraquiana contra edifícios ministeriais, pelo menos 155 pessoas morreram e 500 ficaram feridas.

Dois meses antes, em 19 de agosto, outras 87 pessoas morreram e mais de mil ficaram feridas em várias explosões contra diversas sedes ministeriais, também no centro da capital.

O governo iraquiano acusou a organização terrorista Al Qaeda e o extinto partido Baath, de Saddam Hussein, de serem os responsáveis pelos atentados.

Para representantes iraquianos, o governo da Síria  também pode estar por trás da organização dos atentados.

veja também