MENU

Strauss-Kahn sai com a mulher para jantar fora em NY

Strauss-Kahn sai com a mulher para jantar fora em NY

Atualizado: Sábado, 2 Julho de 2011 as 8:39

O ex-chefe do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, aproveitou o primeiro dia de liberdade condicional para jantar fora, em Nova York. A Justiça o liberou da prisão domiciliar depois de uma reviravolta no caso em que ele é suspeito de estuprar uma camareira de um hotel.

Na noite desta sexta-feira (1º) Strauss-Kahn saiu acompanhado da mulher. É a primeira vez, em um mês e meio, que ele pode andar livremente, sem ter que pedir autorização para sair de casa nem dizer para onde vai.

A história do homem rico e influente que teria estuprado uma camareira de um hotel pode ter um final diferente do previsto.

Para os promotores americanos, as provas contra Strauss-Kahn eram convincentes. Ficaram ainda mais quando o sêmen dele foi encontrado na roupa da camareira - uma imigrante da Guiné. Mas foi investigando melhor a suposta vítima que o caso virou a favor do executivo.     Segundo promotores, a mulher mentiu nos depoimentos e caiu em várias contradições. Ela chegou a ligar para um traficante que está na cadeia.

Falou com ele sobre os benefícios que poderia ganhar com a acusação. Do traficante e de outras pessoas - segundo os promotores - recebeu US$ 100 mil dólares em depósitos bancários. Agora, de vítima a camareira passou a ser a principal investigada.

Strauss-Khan vai receber o dinheiro da fiança de volta, mas não poderá sair do estado de Nova York até o fim das investigações e do processo.

Teoricamente a próxima audiência de Strauss-Kahn seria dia 18 de julho. Mas a defesa dele acredita que as acusações possam ser retiradas até mesmo antes disso. Com isso, ele poderia voltar à França a tempo de participar das prévias do partido socialista que vai escolher o candidato para concorrer à presidência do país.            

veja também