MENU

Tiroteio em protesto mata 30 no Iêmen, dizem médicos

Tiroteio em protesto mata 30 no Iêmen, dizem médicos

Atualizado: Sexta-feira, 18 Março de 2011 as 11:59

Pelo menos 30 pessoas morreram baleadas nesta sexta-feira (18) por forças de segurança durante um protesto em Sanaa, capital do Yêmen, depois das preces semanais, segundo médicos. Outras cem ficaram feridas.

Os manifestantes exigem a renúncia do presidente Ali Abdullah Saleh.

A oposição acusou o regime de ter cometido um "massacre".

"Esta matança não contribuirá para manter Ali Abdullah Saleh no poder", afirmou ao canal Al-Arabiya o porta-voz da oposição parlamentar, Mohamed al-Sabri.     De acordo com testemunhas, os partidários do regime abriram fogo sobre a manifestação a partir dos telhados dos edifícios próximos à Praça da Universidade, onde acontecem protestos desde 21 de fevereiro para exigir a saída de Saleh.

"Muitos feridos foram atingidos por balas na cabeça, pescoço e peito", afirmou um médico à France Presse.

Os manifestantes gritavam "o povo quer a queda do regime". Muitos exibiam cartazes de cor amarela, uma iniciativa de um grupo de jovens que batizou o dia de "sexta-feira da advertência" contra o presidente Saleh, que está no poder há 32 anos.

Os disparos tiveram início quando os manifestantes tentaram derrubar uma barricada criada por partidários do governo para bloquear uma das ruas que leva à Praça da Universidade.

A polícia lançou bombas de gás lacrimogêneo contra os manifestantes e abriu fogo.    

veja também