MENU

Tribunal alemão condena ex-guarda nazista por crimes de guerra

Tribunal alemão condena ex-guarda nazista por crimes de guerra

Atualizado: Quinta-feira, 12 Maio de 2011 as 11:40

John Demjanjuk chega em cadeira de rodas para ouvir sentença em tribunal de Munique, nesta quinta-feira (12) (Foto: Matthias Schrader / AP)

  Um tribunal alemão condenou John Demjanjuk a cinco anos de prisão nesta quinta-feira (12) por sua participação no assassinato de 27.900 judeus no campo de concentração nazista de Sobibor.

Seus advogados irão recorrer da sentença.

O tribunal de Munique determinou que Demjanjuk, de 91 anos, era culpado de ser cúmplice no assassinato em massa quando era guarda de segurança do campo de Sobibor, na Polônia, durante a Segunda Guerra Mundial.

Demjanjuk chegou a ser condenado à morte por outro tribunal do Holocausto duas décadas atrás em Israel, por supostamente ter sido o notório guarda 'Ivan o Terrível' do campo de concentração de Treblinka, também na Polônia. A decisão foi anulada pela suprema corte de Israel depois que novas evidências isentaram o acusado.

Demjanjuk, nascido na Ucrânia, já esteve no topo da lista do Centro Simon Wiesenthal para os criminosos de guerra nazistas mais procurados. Ele alegou que foi alistado para o Exército soviético em 1941 e depois tomado como prisioneiro de guerra pelos alemães.

Demjanjuk participou do processo judicial de 18 meses no tribunal em Munique, cidade de origem do movimento nazista de Adolf Hitler --em uma cadeira de rodas e às vezes deitado, enquanto sua família tentava argumentar que ele estava muito debilitado para participar do julgamento.

Seu filho, John Demjanjuk Jr., defendeu seu pai em um e-mail enviado antes do veredito, dizendo que o acusado era uma vítima dos nazistas e da Alemanha pós-guerra.

Os promotores enfrentaram algumas dificuldades para provar a cumplicidade de Demjanjuk, pois não havia nenhuma testemunha sobrevivente de sues crimes. A acusação dependeu fortemente dos documentos do período da guerra, particularmente do cartão de identificação nazista que os advogados da defesa disseram ser falso e criado pelos soviéticos.        

veja também