MENU

Tribunal declara ex-presidente da Tunísia culpado de tortura

Tribunal declara ex-presidente da Tunísia culpado de tortura

Atualizado: Quarta-feira, 30 Novembro de 2011 as 1:25

Um tribunal militar da Tunísia declarou nesta quarta-feira (30) que o presidente deposto Zine al-Abidine Ben Ali e vários funcionários do primeiro escalão de seu governo eram culpados de tortura, no primeiro julgamento da velha guarda de Ben Ali desde a revolução deste ano, que iniciou a chamada Primavera Árabe.

Desde a derrubada de Ben Ali em janeiro após protestos em massa, muitos de seus ex-ministros e conselheiros foram detidos por acusações que variavam de morte de civis a corrupção. Depois de 23 anos no poder, Ben Ali fugiu para a Arábia Saudita com membros de sua família. Ele e sua mulher foram condenados a décadas de prisão por corrupção e, na quarta-feira, ele foi sentenciado a mais 5 anos pela acusação de tortura.

No primeiro julgamento das autoridades do governo de Ben Ali desde a revolução, o tribunal militar de Túnis sentenciou o ex-ministro do Interior Abdallah Kallel e o alto funcionário da Segurança Mohammed Ali Ganzoui a 4 anos de prisão cada.

Manifestante protesta contra o ex-presidente tunisiano Ben Ali em 20 de junho em frente ao tribunal em Túnis (Foto: AP) No total, nove pessoas, incluindo Ben Ali, foram declaradas culpadas. Cinco delas, entre as quais o ex-presidente, foram condenadas à revelia.

As acusações estão relacionadas à tortura, em 1991, de 17 oficiais militares acusados de tentar promover um golpe.

Na primeira eleição democrática do país, os tunisianos elegeram no mês passado um governo de coalizão liderado pelo partido moderado islâmico Ennahda.        

veja também