MENU

Tripulantes de cruzeiro de SP chegam à Argentina doentes, com gripe B

Tripulantes de cruzeiro de SP chegam à Argentina doentes

Atualizado: Quarta-feira, 22 Fevereiro de 2012 as 1:20

Desembarcaram em Montevidéu e em Buenos Aires com suspeitas de gripe dez tripulantes do cruzeiro MSC Armonia que partiu no sábado (18) de Santos.

Cerca de mil integrantes da tripulação, e mais de 2 mil passageiros, embarcaram em um cruzeiro que seguiu para o litoral de Uruguai e Argentina após a morte da garçonete Fabiana dos Santo, de 30 anos, que teve preliminarmente diagnosticada como causada pelo virus da gripe B.

Segundo a assessoria de imprensa da MSC, sete tripulantes desembarcaram em Montevidéu, na terça-feira (21), com sintomas de resfriado, como coriza nasal e tosse. Nesta quarta-feira (22), mais três tripulantes desembarcaram com os mesmos sintomas em Buenos Aires. Todos foram levados para um hospitais e passaram por exames de avaliação, sendo liberados pelas autoridades médicas.

A MSC informou que nenhum deles teve de permanecer internado nos dois países e todos foram liberados para retornar ao trabalho. Nenhum passageiro que embarcou no novo cruzeiro apresentou sintomas de gripe, disse a empresa.

O navio MSC Armonia chegou a Buenos Aires nesta quarta-feira cercado de cuidados das autoridades argentinas após o desembarque dos tripulantes em Montevidéu com a suspeita da doença. Segundo o jornal Clarín, o ministro da Saúde argentino, Juan Manzur, disse que não há riscos para a população e os passageiros, mesmo que alguns tripulantes que passaram por avaliação médica apresentem "sintomas leves" de gripe.

O navio passou por inspeções e foi liberado pelas autoridades. Manzur afirma os cuidados foram redobrados a inspeção minuciosa e que a possibilidade de infecção é "muito baixa". "A situação no cruzeiro é absolutamente normal", disse o ministro.

Em Santos, após o cruzeiro aportar no sábado, 10 pessoas, entre eles 7 passageiros e três tripulantes, foram internados com sintomas respiratórios agudos no Hospital Ana Costa. Entre os passageiros havia uma mulher, um menino de 11 anos e uma menina de 14 anos.

O hospital pediu ao Instituto Adolfo Lutz exames que podem confirmar se algum dos internados ou a tripulante que morreu havia contraído a gripe A H1N1. Exames comprovaram que a jovem morreu do vírus da gripe B 

Técnicos da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) entraram no MSC Armonia logo após o navio atracar no Porto de Santos, por volta das 5h da manhã de sábado. Os passageiros só foram liberados para o desembarque por volta das 11h. A Anvisa autorizou o reembarque e o novo cruzeiro a partir durante o carnval para os mares argentinos.

Alguns dos quase mil tripulantes do atual cruzeiro da MSC afirmam ao G1 que os sintomas de gripe continuam entre a tripulação e que temem que mais pessoas adoençam a bordo. A MSC afirma que não há riscos e que trabalha dentre os regulamentos de segurança.

Veja a nota da MSC sobre a tripulação que passou por exames na Argentina:

"A MSC Cruzeiros informa que o MSC Armonia foi inspecionado pela Anvisa no último sábado (18) e foi constatado que não existia riscos para a saúde de hóspedes ou tripulantes. O navio seguiu viagem e os membros da tripulação internados no hospital Ana Costa no dia 18, já receberam alta e estão bem. Di 21, o navio recebeu inspeção da agência sanitária do Uruguai, quando realizava sua escala em Montevidéu, e foi rapidamente liberado.
Por precaução, sete tripulantes passaram por um hospital da cidade apenas para observação por apresentarem sintomas de gripe, como coriza e tosse, mas foram liberados em seguida.
Dia 22, a embarcação foi novamente inspecionada pela agência sanitária da Argentina e foi verificado que o navio não oferece nenhum risco para saúde das pessoas a bordo. Há apenas três tripulantes com sintomas leves de gripe, mas estão recebendo todo o cuidado necessário. Os hóspedes desembarcaram normalmente em Buenos Aires e amanhã o transatlântico seguirá para Punta del Este, conforme previsto.
A empresa reitera que segue rigorosamente todas as normas internacionais da IMO (Organização Marítima Internacional), Ministério do Trabalho, Anvisa e demais autoridades locais. Todas as embarcações estão de acordo com regras e padrões de funcionamento mundiais, além de exigências das agências reguladoras dos países em que operam. A companhia reforça ainda que trabalha com a missão de oferecer sempre o mais alto nível de segurança, conforto e qualidade para seus hóspedes e tripulantes."

Veja a íntegra da nota do hospital sobre o vírus que causou a morte:

"Considerando a grande repercussão e preocupação desencadeada pelo surto de doença respiratória aguda envolvendo passageiros e tripulantes do navio de cruzeiro, atendidos no Hospital Ana Costa de Santos, comunicamos que o resultado preliminar do exame da secreção respiratória realizado na paciente Fabiana dos Santos Pasquarelli, que faleceu, teve como isolado o vírus influenza B. Trata-se de um vírus de menor impacto para causar pandemias e, portanto, gostaríamos de salientar que a população deva sentir-se tranquila, pois o risco de contágio por este vírus fica circunscrito a um espaço físico restrito. À exceção de Fabiana, cuja causa do óbito será elucidada em um exame necrológico ainda em elaboração, todos os demais pacientes atendidos tiveram uma evolução favorável.

Agradecemos o empenho de todos os técnicos envolvidos na diagnose, contenção e terapia dos casos e agradecemos, em especial, ao empenho da equipe do Ministério da Saúde que, por meio da assessoria direta do Ministro Alexandre Padilha, atuou de forma decisiva para que o processo de diagnose fosse acelerado.

Salientamos que os laudos definitivos e todas as demais medidas cabíveis em uma situação como essa serão conduzidas pelas autoridades sanitárias e pelo Ministério da Saúde e que o Hospital Ana Costa permanece atendo e à disposição para atendimento de seus clientes e outros esclarecimentos que se façam necessários.

Dr. José Luiz Boechat Paione
Diretor Técnico do Hospital Ana Costa

Dr. Evaldo Stanislau Affonso de Araújo
Chefe do Serviço de Infectologia
e do CCIH do Hospital Ana Costa"

 

 

 

 

Com informações de G1

veja também